PUBLICIDADE
Topo

Israel chega a quase 2 mil casos diários de covid-19 e preocupa autoridades

Nas últimas 24 horas, país registrou 1.855 novos casos e sete mortes por covid-19 - Ilia Yefimovich/picture alliance via Getty Images
Nas últimas 24 horas, país registrou 1.855 novos casos e sete mortes por covid-19 Imagem: Ilia Yefimovich/picture alliance via Getty Images

Da EFE, em Jerusalém (Israel)

21/07/2020 18h13

Israel voltou a registrar hoje quase 2 mil novos casos diários do novo coronavírus, um limite imposto pelo Ministério da Saúde local para voltar às rígidas restrições, enquanto as autoridades hesitam na gestão da covid-19 e alteram a cada poucos dias as medidas impostas para evitar o contágio.

O Ministério da Saúde israelense informou hoje que nas últimas 24 horas registrou 1.855 novos casos e sete mortes por covid-19, elevando o número total de casos confirmados desde fevereiro para 52.687 e as vítimas para 422.

Após alguns dias com uma tendência decrescente de infecções (possivelmente ligada ao menor número de testes realizados), os novos casos atingem novamente valores semelhantes aos da semana passada e estão novamente próximos do temido número 2 mil, que o ministro da Saúde, Yuli Edelstein, antecipou que forçaria um novo fechamento total do país.

À medida que os números aumentam, o comitê especial para o coronavírus do Knesset (Parlamento) decidiu hoje cancelar a medida anunciada na semana passada pelo governo, que determinou o fechamento de restaurantes no país.

Ontem, esse mesmo comitê também contradisse o governo, determinando que as praias e as piscinas do país possam permanecer abertas nos finais de semana, ao contrário do que o Gabinete havia anunciado na última sexta-feira, mostrando uma disputa e sérias divergências de opinião entre as diferentes formações que participam do governo de coalizão liderado por Benjamin Netanyahu.

Nesta semana, Israel anunciou que manterá o fechamento das fronteiras para estrangeiros até, pelo menos, 1º de setembro e que cidadãos e residentes que retornam de outros países terão que continuar a fazer quarentenas obrigatórias de 14 dias até essa data.

Coronavírus