ONU: Desnutrição é crime de guerra e não deve integrar eventual anisitia na Síria

Em Genebra

  • ICRC/AP

    11.jan.2016 - Comboio da ONU com ajuda humanitária chega a Madaya, na Síria

    11.jan.2016 - Comboio da ONU com ajuda humanitária chega a Madaya, na Síria

A desnutrição de civis sírios possivelmente representa crimes de guerra e contra a humanidade, que devem ser processados e não podem ser incluído em eventual anistia voltada a acabar com o conflito, disse o alto comissário de direitos humanos da ONU nesta segunda-feira.

Zeid Ra'ad Al Hussein, falando em entrevista coletiva em Genebra enquanto são realizadas negociações de paz na Síria, afirmou: "No caso da Síria, estamos lá para lembrar a todos que onde há alegações que atinjam o limite de crimes de guerra ou crimes contra a humanidade que anistias não são permitidas".

Apontando para o que ele disse ser a desnutrição de pessoas na cidade de Madaya, e o cerco a 15 outras cidades na Síria, ele afirmou que isso representa "não apenas um crime de guerra, mas um crime contra a humanidade, se provado em tribunal".

"Estimamos que dezenas de milhares são mantidos em detenção arbitrária e claramente eles precisam ser lançados", acrescentou Zeid.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos