PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Rússia registra pela primeira vez mais de mil mortes por covid em 24 horas

Mais da metade dos russos não pensa em se vacinar contra covid, segundo pesquisas de opinião independentes - Yelena Afonina\TASS via Getty Images
Mais da metade dos russos não pensa em se vacinar contra covid, segundo pesquisas de opinião independentes Imagem: Yelena Afonina\TASS via Getty Images

16/10/2021 07h56Atualizada em 16/10/2021 09h10

A Rússia registrou hoje 1.002 mortes por covid-19 em 24 horas, de acordo com informações oficias do governo. Este é o maior número de vítimas mortais registrado em apenas um dia no país, desde o início da pandemia.

As contaminações também bateram recorde no mesmo período, atingindo o número de 33.208 novos casos. O aumento das infecções pode ser explicado pela baixa taxa de vacinação, já que apenas 31% da população russa está totalmente imunizada, segundo o site especializado Gogov neste sábado

Com a propagação do vírus, diversas regiões reintroduziram a obrigatoriedade do passaporte sanitário para acesso a lugares públicos.

Preocupado com a economia do país, o Kremlin se recusou a aplicar restrições importantes, mas considera "inadmissível" a baixa taxa de vacinação.

"Nossa missão principal é encontrar o equilíbrio entre quebrar as cadeias de contaminação (...) e manter as condições para permitir a economia de funcionar e para as pessoas continuarem a ganhar dinheiro", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

A população russa enfrenta desde 2014 uma queda do nível de vida que afeta a popularidade do governo.

O Kremlin também garantiu nesta semana, que o sistema médico era capaz de acolher o grande número de doentes.

A Rússia adquiriu experiência desde o início da pandemia e "toda a infraestrutura médica está mobilizada", disse Peskov na quinta-feira (14). "Hoje, existem mais tecnologias de tratamento, mais acompanhamento médico e capacidade infraestrutural".

Comportamento e vacinas

As autoridades do país responsabilizam o comportamento da população pelo aumento do número de casos. O ministro da Saúde, Mikhail Mourachko, disse que a situação atual é resultado "do comportamento da população e da vacinação" insuficiente apesar da disponibilidade de imunizantes nacionais.

Mais da metade dos russos não pensa em se vacinar, segundo pesquisas de opinião independentes.

Desde o início da pandemia, 222.315 pessoas morreram na Rússia, o número mais alto da Europa, enquanto as autoridades são acusadas de minimizar a gravidade da pandemia. O instituto de estatísticas Rosstat, que usa uma definição mais ampla de mortes ligadas ao coronavírus, afirma que o número de mortos poderia ultrapassar 400.000.

(Com informações da AFP)

Internacional