Greve no metrô e trens causa tumultos, prisões e lentidão recorde na capital paulista

Do UOL, em São Paulo

A greve parcial do metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), deflagrada à 0h desta quarta-feira (23) em São Paulo, causou tumulto, protestos e congestionamento recorde na história da capital, no período da manhã. Com a greve, o rodízio municipal de veículos foi suspenso.

No começo da tarde, o sindicato dos metroviários e o Metrô chegaram a um acordo, que será submetido a assembleia. 

Por volta das 7h de hoje, um grupo de usuários do metrô bloqueou a Radial Leste, em frente à estação Corinthians-Itaquera. A polícia dispersou o bloqueio com bombas de gás, e houve correria em frente à estação; um ônibus teve os pneus furados no meio da via. Uma mulher e dois homens foram detidos durante a manifestação. Levados à Central de Flagrantes do 63º DP (Vila Jacuí), os três assinaram um termo circunstanciado e foram liberados. Eles responderão em liberdade por desacato.

Já na entrada da estação Jabaquara, passageiros fizeram uma fogueira com jornais. Usuários relatam que perderam compromissos e não conseguiram embarcar em ônibus, quase todos lotados.

Segundo último boletim do Metrô, às 6h25, a linha 1-azul estava operando apenas no trecho entre as estações Ana Rosa e Luz; a linha 2-verde funcionava entre as estações Ana Rosa e Clínicas; e a linha 3-vermelha operava entre as estações Bresser-Mooca e Santa Cecília. Estas linhas começaram a operar mais tarde e todas têm velocidade reduzida e maior intervalo de espera.

As linhas 5-lilás e 4-amarela (que é de concessionária privada) funcionam normalmente.


Também os trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) estão parados na linha 11-coral (Luz/Estudantes) e na 12-safira (Brás/Calmon Viana), que ligam o centro a cidades da região metropolitana.

A SPTrans --estatal municipal responsável pelos ônibus municipais-- diz que acionou o Paese (Plano de Atendimento entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência). Com isso, as linhas de ônibus que operam com destino às estações de metrô serão estendidas até a região central da capital. De acordo com a empresa, as linhas farão os trajetos de Mogi das Cruzes a Guaianazes e de Guaianazes a Brás na linha 11, e de Poá a Itaim Paulista e de Itaim Paulista a Brás na linha 12 da CPTM.

O Metrô e o sindicato não deram informações sobre o total de pessoas afetadas. Em nota, a companhia diz que a operação está sendo realizada com funcionários que não aderiram à greve e com seu quadro administrativo, que foi deslocado e está atuando nas estações e bilheterias.

Congestionamento recorde

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) suspendeu o rodízio municipal de veículos na manhã de hoje e, com isso, muitos moradores deixaram suas casas de carro.

Às 10h, havia 249 km de congestionamento nas vias monitoradas na cidade. A marca já é a maior em toda a história durante a manhã na capital. A zona sul concentra quase metade do trânsito mais pesado na capital, com 126 km de vias congestionadas.

O recorde anterior de congestionamento durante a manhã havia sido registrada no dia 4 de novembro de 2004, quando a cidade teve 191 km de trânsito carregado às 9h30. O segundo maior índice foi registrado em 15 de agosto de 2006, com 188 km às 9h.

 

No último dia 16, metrô registrou colisão de trens
Veja Álbum de fotos
 

Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos