PUBLICIDADE
Topo

Rio de Janeiro

Unidos de Padre Miguel alfineta Crivella e levanta a Sapucaí

Ala da Unidos de Padre Miguel carregava faixa com a inscrição "defuntíssimo prefeito" - Gabriel Sabóia/UOL
Ala da Unidos de Padre Miguel carregava faixa com a inscrição "defuntíssimo prefeito" Imagem: Gabriel Sabóia/UOL

Gabriel Sabóia

Do UOL, no Rio

02/03/2019 04h04

Escola responsável pela maior mobilização das arquibancadas da Marquês de Sapucaí, na primeira noite do Grupo de Acesso do carnaval carioca, a Unidos de Padre Miguel levantou a arquibancada antes mesmo de entrar na avenida.

A escola, no entanto, estourou em três minutos o tempo de desfile, o que deve fazer com que ela perca três décimos na pontuação.

Com o enredo "Qualquer Semelhança Não Terá Sido Mera Coincidência", a escola homenageou o dramaturgo Dias Gomes. Boa parte do setor 1 cantava o samba enredo da escola antes mesmo de os componentes iniciarem o desfile.

Com uma ala que fazia menção ao icônico personagem da novela "O Bem Amado", Odorico Paraguaçu, a escola fez uma citação que foi interpretada por muitos como alfinetada no prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB). Os integrantes de uma ala coreografada tinham escrito na fantasia os dizeres "defuntíssimo prefeito". 

Na ficção, Odorico Paraguaçu era prefeito da cidade de Sucupira e se elegeu com a promessa de construir um cemitério. Para a história da TV, ele ficou conhecido pelos discursos demagógicos e pelas promessas não cumpridas.

Crivella tem sido alvo de críticas por boa parte do mundo do samba desde o primeiro ano de mandato, quando anunciou a redução dos repasses às escolas de samba do Rio. O prefeito também não compareceu à tradicional cerimônia de entrega das chaves da cidade. Coube ao secretário de Turismo a responsabilidade.

No momento do desfile da Unidos de Padre Miguel, a chuva, que começou no início dos desfiles, diminuiu de intensidade -o que favoreceu a evolução da escola.

Rio de Janeiro