PUBLICIDADE
Topo

Carolina Brígido

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

STJ vai gastar R$ 42,7 mil na compra de togas para ministros e advogados

O plenário do STJ - STJ
O plenário do STJ Imagem: STJ
Carolina Brígido

Escreve sobre Judiciário, especialmente o STF, desde 2001. Participou da cobertura do mensalão, da Lava-Jato e dos principais julgamentos dos últimos anos. Foi repórter e analista do jornal "O Globo" de 2001 a 2021. Foi colunista a revista "Época" de 2019 a 2021.

Colunista do UOL

30/04/2021 11h47

Mesmo durante a pandemia, com sessões transmitidas por videoconferência, os ministros do STJ (Superior Tribunal de Justiça) querem ficar bem vestidos. A Corte publicou edital para comprar becas e camisas de gala, além de capas para ministros, advogados e atendentes do tribunal. Também serão adquiridos acessórios para as vestimentas - como cordões com pingentes e punhos. Há, ainda, previsão para gasto com consertos de peças em uso atualmente. O valor total da licitação é de R$ 42.750.

Em nota, o STJ informou que os valores expressos no edital são uma previsão do que pode ser gasto ao longo de um ano. "Mas o valor final pode ser bem menor, pois o gasto somente ocorrerá sob demanda", diz o texto. Ainda segundo o tribunal, o contrato atual venceu neste mês, daí a necessidade de realizar nova licitação. A nota afirma que, em 2020, foram gastos R$ 5.125 com togas e consertos. Nos primeiros quatro meses de 2021, foram desembolsados R$ 1.560.

Quem assiste às sessões do Judiciário não imagina quanto custa o pedaço de tecido preto que cobre a roupa dos juízes. Uma capa simples, dessas usadas no dia a dia dos tribunais, sai por R$ 900. O STJ vai comprar oito dessas. Vai gastar, portanto, R$ 7.200. Cada capa tem um cordão com pingente - que custa, cada um, R$ 120. Serão comprados dez, por R$ 1.200.

Mas existe a versão mais cara da vestimenta, chamada beca de gala, usada em eventos especiais - como, por exemplo, a posse de ministros. Cada uma sai por R$ 1.350. Como serão compradas sete, o valor total será R$ 7.450. A camisa da beca de gala custa R$ 400 cada. Serão gastos R$ 3.200 com oito delas. As becas mais formais são acompanhadas de punhos extras. Serão adquiridos sete por R$ 1.750 o lote.

A licitação também prevê a compra de três capas para serem usadas por advogados, para fazerem sustentação oral nas sessões do tribunal. Essas capas, a exemplo das usadas pelos ministros, também custam R$ 900 cada. Ainda serão adquiridas dez capas para os atendentes dos ministros. Ao custo unitário de R$ 415, o conjunto sairá por R$ 4.150.

Há no edital também cinco capas para secretários do tribunal, cada uma por R$ 520. E mais dez cordões com pingentes para serem usados por advogados, atendentes e secretários, no mesmo valor dos acessórios dos ministros.

O edital ainda descreve o conserto de 30 peças de roupas já em uso no tribunal, cada um ao custo de R$ 150. E, ainda, a fixação de 60 etiquetas em capas e becas. As etiquetas, mais a prestação do serviço de costura, ficará por R$ 4.800. O edital foi publicado no último dia 23. A data prevista para a finalização da concorrência entre empresas interessadas é 6 de maio.