PUBLICIDADE
Topo

Chico Alves

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Destino de Joice deverá ser o PSDB. DEM e Podemos são alternativas

Deputada Joice Hasselmann - Divulgação
Deputada Joice Hasselmann Imagem: Divulgação
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

15/06/2021 16h07

Depois de anunciar que recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para sair do PSL sem perder o mandato, a deputada Joice Hasselmann (SP) ainda não revelou para qual partido vai se transferir. A coluna apurou que o PSDB é o destino mais provável. Também há conversações com o DEM e o Podemos.

Mesmo quando ainda cerrava fileiras com Jair Bolsonaro, que depois se tornou seu adversário, Joice não teve abalos na relação com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Tanto que antes das eleições municipais de 2020 o governador chegou a cogitar uma dobradinha em que ela fosse a vice de Bruno Covas na chapa que concorreria à Prefeitura da capital paulista. Joice, por sua vez, sempre repete que Doria é um bom gestor.

Esse bom entendimento pode facilitar a entrada da deputada no ninho tucano,

A aproximação do DEM com o bolsonarismo não combina com a postura de oposição ao governo adotada por Joice, mas as conversas continuam. O Podemos, do senador Álvaro Dias, é outra alternativa.

Joice foi a segunda deputada do Brasil com maior número de votos, atrás apenas de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Aos dirigentes partidários que a procuram, uma das principais reivindicações da deputada tem sido um espaço para capacitação e formação política de mulheres.

Ela decidiu deixar o PSL depois de uma série de desentendimentos com o presidente da legenda, deputado Luciano Bivar, que recentemente teve negociação frustrada para o retorno de Jair Bolsonaro e seu grupo.