PUBLICIDADE
Topo

Chico Alves

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Ministro Tarcísio não reconhece líderes da greve dos caminhoneiros

Tarcísio de Freitas, ministro da Infraestrutura - AMANDA PEROBELLI
Tarcísio de Freitas, ministro da Infraestrutura Imagem: AMANDA PEROBELLI
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

21/07/2021 17h14

Procurado pela coluna para se pronunciar sobre a greve dos caminhoneiros que várias entidades da categoria anunciaram para domingo 25, o Ministério da Infraestrutura emitiu nota dizendo que não reconhece a representatividade das lideranças do movimento. Segundo o texto, o Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC) "não é entidade de classe representativa para falar em nome do setor do transporte rodoviário de cargas autônomo".

No texto, a pasta, comandada pelo ministro Tarcísio de Freitas, "reforça a necessidade de entender o caráter difuso e fragmentado de representatividade do setor, seja regionalmente, seja pelo tipo de carga transportada, antes de divulgar qualquer informação referente à categoria".

"Nenhum associação isolada pode reivindicar para si falar em nome do transportador rodoviário de cargas autônomo", diz a nota. Isso comprometeria "qualquer divulgação fidedigna dos fatos" referentes aos motoristas.

Como a coluna noticiou, várias entidades representativas de caminhoneiros anunciaram a paralisação para cobrar promessas não cumpridas pelo governo de Jair Bolsonaro. Na pauta, a redução do preço dos combustíveis, a efetivação do piso mínimo e a liberação de pedágio para veículos sem carga, entre vários outros pontos. Na eleição de 2018, Bolsonaro recebeu votação maciça dos motoristas de caminhão.

A seguir, a íntegra da nota:

O Ministério da Infraestrutura esclarece que o Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC) não é entidade de classe representativa para falar em nome do setor do transporte rodoviário de cargas autônomo e que qualquer declaração feita em relação à categoria corresponde apenas à posição isolada de seus dirigentes. O MInfra reforça a necessidade de entender o caráter difuso e fragmentado de representatividade do setor, seja regionalmente, seja pelo tipo de carga transportada, antes de divulgar qualquer informação referente à categoria. Nenhum associação isolada pode reivindicar para si falar em nome do transportador rodoviário de cargas autônomo e incorrer neste tipo de conclusão compromete qualquer divulgação fidedigna dos fatos referentes à categoria.