PUBLICIDADE
Topo

Chico Alves

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Presidente do PDT reúne partidos para discutir impeachment de Bolsonaro

Carlos Lupi - Divulgação
Carlos Lupi Imagem: Divulgação
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

08/09/2021 04h00

O pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro na manifestação realizada ontem, na Avenida Paulista, fez com que vários políticos passassem a se movimentar para alavancar o processo de impeachment. Um deles é o presidente do PDT, Carlos Lupi, que marcou para hoje, às 19h, uma live com integrantes de vários partidos para tratar do assunto. "Estarão lá o Roberto Freire (presidente do Cidadania), Gleisi Hoffmann (presidente do PT), Paulinho da Força (SD-SP), Juliano Medeiros (presidente do PSOL), Randolfe Rodrigues (senador da Rede-AP) e o Rodrigo Maia (sem partido)", disse Lupi à coluna.

O presidente do PDT afirma que ainda espera respostas de Baleia Rossi, presidente do PMDB, Gilberto Kassab, presidente do PSD, e ACM Neto, presidente do DEM. Fez também contato com o presidente do PSDB, Bruno Araújo, mas depende de uma reunião anteriormente marcada pelos tucanos.

"Passou de todos os limites. Quando ele falava no cercadinho, por 10, 15 minutos, para a sua rede social, a gente rebatia, entrava na Justiça...", criticou Lupi. "Só que agora ele falou para uma multidão".

Para o pedetista, a ofensiva contra o ministro Alexandre de Moraes foi, na verdade, um ataque a uma instituição independente. A solução, acredita ele, é usar os instrumentos da democracia contra quem quer tomar caminhos antidemocráticos.

"Vamos fazer uma mobilização pelo impeachment. Somos 80% do povo brasileiro. Não dá para o Bolsonaro falar a uma minoria achando que é uma maioria", ressalta Lupi.