PUBLICIDADE
Topo

Chico Alves

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

'Baile de Favela' na filiação de Bolsonaro não teve autorização do autor

Bolsonaro discursa em evento de filiação ao PL - Reprodução/YouTube
Bolsonaro discursa em evento de filiação ao PL Imagem: Reprodução/YouTube
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

01/12/2021 13h28

Uma versão de "Baile de Favela" com letra adaptada para elogiar a direita e ofender os militantes de esquerda foi a música tocada enquanto os convidados chegavam para a cerimônia em que o presidente Jair Bolsonaro selou ontem sua filiação ao PL. O uso da paródia, que compara mulheres esquerdistas a cadelas e faz outros ataques, alterando os versos originais criados por MC João, não teve autorização do autor.

"Nossos advogados já estão trabalhando em cima dessa versão criada sobre a música do artista MC João. Nós não temos nada a ver com isso", informou à coluna a produtora Baile de Favela, que cuida dos direitos do cantor e compositor. "Somos da arte, não da política".

A adaptação "direitista" do funk foi criada por MC Reaça, um apoiador do presidente Bolsonaro que se suicidou há dois anos, e muito usada nas ruas durante a campanha eleitoral de 2018.

A assessoria da produtora de MC João classificou como "sem noção" as pessoas que usaram a versão da música na filiação de Bolsonaro, "assim como todos que saem fazendo versão da música sem a nossa permissão".