PUBLICIDADE
Topo

Diogo Schelp

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Índia passa Brasil em média diária de novos casos de covid-19

Profissional médico coleta amostra com swab para exame de detecção do coronavírus em Noida, na Índia - EFE/EPA/HARISH TYAGI
Profissional médico coleta amostra com swab para exame de detecção do coronavírus em Noida, na Índia Imagem: EFE/EPA/HARISH TYAGI
Diogo Schelp

Diogo Schelp é jornalista com 20 anos de experiência. Foi editor executivo da revista VEJA e redator-chefe da ISTOÉ. Durante 14 anos, dedicou-se principalmente à cobertura e à análise de temas internacionais e de diplomacia. Fez reportagens em quase duas dezenas de países. Entre os assuntos investigados nessas viagens destacam-se o endurecimento do regime de Vladimir Putin, na Rússia, o narcotráfico no México, a violência e a crise econômica na Venezuela, o genocídio em Darfur, no Sudão, o radicalismo islâmico na Tunísia e o conflito árabe-israelense. É coautor dos livros ?Correspondente de Guerra? (Editora Contexto, com André Liohn) e ?No Teto do Mundo? (Editora Leya, com Rodrigo Raineri).

Colunista do UOL

05/04/2021 16h58Atualizada em 05/04/2021 18h09

A Índia ultrapassou o Brasil no total de novos casos de covid-19, na média diária de sete dias, tornando-se o novo epicentro global da doença. Na sexta-feira (2), o Brasil ainda liderava o ranking mundial de testes positivos, com 72.238 novos casos diários contra 69.050 da Índia. No sábado (3), porém, a Índia registrou uma média de 73.412 novos casos, em comparação com a de 66.176 no Brasil.

No domingo (4), a Índia continuou na dianteira, com uma diferença de 14.165 casos a mais que o Brasil na média móvel diária. Por ser o segundo país mais populoso do mundo, porém, a Índia continua ainda bem atrás do Brasil na média de novos casos em proporção à população: por aqui a média diária é de 302 casos por milhão de habitantes, enquanto no país do Sul da Ásia é de 57 casos por milhão de habitantes. Os dados, elaborados com base em levantamento da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, está disponível no site Our World in Data.

Nesta segunda (5), a Índia passou pela primeira vez a marca de 100.000 novos casos registrados em um único dia. O país chegou perto desse número em setembro, mas a estatística caiu para menos de 15.000 novos casos por dia em fevereiro. A nova alta, portanto, foi bastante acelerada e pegou as autoridades indianas de surpresa, no momento em que tentam, a duras penas, fazer uma vacinação em massa da população.

Apesar de ser o maior produtor mundial de vacinas e de ser fornecedor de insumos inclusive para o Brasil, a Índia está conseguindo vacinar, em média, apenas 0,19% de sua população por dia. O Brasil, mesmo com a falta de vacinas, tem um desempenho um pouco melhor, imunizando diariamente 0,23% de seus cidadãos.

Segundo o Ministério da Saúde indiano, a principal causa para o crescimento no número de novos casos é o relaxamento de cuidados sanitários básicos por parte da população, como usar máscaras e evitar aglomerações. As novas variantes do vírus que começam a circular na Índia, em especial a britânica, não são apontadas como responsáveis pela nova onda.

Com a recente alta no número de novos casos, a Índia alcançou o Brasil no número total de cidadãos que já foram infectados pelo novo coronavírus. Em ambos os países, algo em torno de 13 milhões de pessoas têm ou já tiveram covid-19.

Em nenhum outro país, no entanto, há tantas mortes por covid-19 atualmente quanto no Brasil. A média móvel foi de 2.746 de óbitos diários pela doença no domingo (4), contra 792 nos Estados Unidos e 465 na Índia.