PUBLICIDADE
Topo

Jamil Chade

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Presidência ordena suspensão de redes sociais de embaixadas

Palácio Itamaraty - Ueslei Marcelino
Palácio Itamaraty Imagem: Ueslei Marcelino
Jamil Chade

Jamil Chade é correspondente na Europa há duas décadas e tem seu escritório na sede da ONU em Genebra. Com passagens por mais de 70 países, o jornalista paulistano também faz parte de uma rede de especialistas no combate à corrupção da entidade Transparência Internacional, foi presidente da Associação da Imprensa Estrangeira na Suíça e contribui regularmente com veículos internacionais como BBC, CNN, CCTV, Al Jazeera, France24, La Sexta e outros. Vivendo na Suíça desde o ano 2000, Chade é autor de cinco livros, dois dos quais foram finalistas do Prêmio Jabuti. Entre os prêmios recebidos, o jornalista foi eleito duas vezes como o melhor correspondente brasileiro no exterior pela entidade Comunique-se.

Colunista do UOL

30/06/2022 14h24

Por instrução do Palácio do Planalto, o Itamaraty enviou nesta quinta-feira um comunicado a todas as embaixadas do Brasil no exterior e postos ordenando que as contas de redes sociais sejam suspensas de forma temporária, e trocadas por novos perfis com regras rígidas sobre o que poderá ser postado.

O motivo seria o início do período de defeso eleitoral, que começa no dia 2 de julho. Além da suspensão, as atividades de comunicação institucional do Ministério, inclusive da rede de Postos no exterior, deverão adequar-se às restrições impostas pela legislação.

Todo o material no "Facebook", "Instagram", "Twitter" e "YouTube", além de "Flickr", "TikTok", "LinkedIn", "SoundCloud" e outras, deve também proceder à suspensão temporária de seus perfis.

De acordo com as informações que as embaixadas e consulados receberam, as contas deveriam ser substituídas por novos perfis temporários. Mas com a função apenas de veicular informações de interesse direto do cidadão e sobre serviços do posto, como horário de atendimento para renovação de passaporte e outros documentos.

Nas novas contas, fica proibido fazer comparações com gestões passadas ou adjetivar os textos.

Quanto aos perfis pessoais dos chefes de postos, embaixadores ou de servidores, a responsabilidade é dos titulares das contas. Mas o Itamaraty recomenda que a mesma medida adotada nas contas oficiais seja replicada nos perfis pessoais.

Em vários postos pelo mundo, porém, a orientação foi recebida com preocupação.

A coluna perguntou ao Itamaraty se a mesma suspensão já havia sido ordenada nas eleições de 2018. Por enquanto, a chancelaria não prestou esclarecimento.

Fica estabelecido ainda a suspensão de toda divulgação da marca do Governo Federal, na publicidade ou em qualquer ação de comunicação para o período eleitoral. A mera manutenção da marca "Pátria Amada Brasil" seria uma propaganda vedada.