PUBLICIDADE
Topo

Amor de Bolsonaro por Trump sobrevive à doença

Josias de Souza

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na "Folha de S.Paulo" (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro "A História Real" (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de "Os Papéis Secretos do Exército".

Colunista do UOL

07/07/2020 12h21

Numa de suas viagens aos Estados Unidos, no ano passado, Jair Bolsonaro teve a oportunidade de dizer a Donald Trump, no prédio da ONU, que o ama. Desse amor heterossexual resultou um casamento diplomático marcado pela ideologia e pelo personalismo. A união do Planalto com a Casa Branca, que já se mostrava sólida na saúde, revela-se surpreendente na doença.

Embora Bolsonaro sonhe com um acordo de livre comércio entre Brasil e Estados Unidos, não há o mais remoto sinal de que isso esteja para acontecer. Por ora, a proximidade entre o Brasil de Bolsonaro e a América de Trump é mais perceptível nas estatísticas da pandemia. (veja no comentário acima)

Josias de Souza