Josias de Souza

Josias de Souza

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Opinião

Datafolha mostra aos religiosos antiaborto legal que Deus existe

Os sábios da banda religiosa do Congresso imaginam que falam com Deus. Deveriam trocar a oração pela meditação, para tentar escutar Deus. Pesquisa do Datafolha revela que 66% dos brasileiros são contrários ao projeto de lei que classifica como assassinas as mulheres e crianças estupradas que realizarem após a 22ª semana de gravidez o aborto previsto em lei.

A pesquisa ajuda a explicar por que parte da sociedade fez um risco no asfalto e nas redes sociais. A revolta contra a proposta do deputado-pastor Sóstenes Cavalcanti traçou uma fronteira entre o conservadorismo e o fundamentalismo. Foi como se os brasileiros informassem que, para a Idade Média, não adianta empurrar que o país não vai.

Mesmo entre os evangélicos, a maioria (57%) se opõe ao projeto antiaborto. Imaginando-se porta-voz do seu rebanho, a CNBB apoiou a proposta. Mas quase sete em cada dez católicos (68%) rejeitam a ideia de impor violências adicionais a mulheres e meninas que passaram pelo suplício de um estupro.

O aborto é crime no Brasil, exceto em três circunstâncias: risco de morte da gestante, fetos anencéfalos e estupro. Nessa matéria, quem defende a criminalização do que foi descriminalizado pede a Deus não que seja feita a Sua vontade, mas que aprove a vontade deles. O Datafolha mostra a Arthur Lira e seus apóstolos que Deus existe, mas está em outra trincheira.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Deixe seu comentário

Só para assinantes