PUBLICIDADE
Topo

Josmar Jozino

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Brasileiro preso na Espanha é condenado a 12 anos por tráfico de drogas

Eduardo de Oliveira Cardoso: em fevereiro, agentes federais apreenderam 1,3 tonelada de cocaína em duas casas do empreário - Reprodução
Eduardo de Oliveira Cardoso: em fevereiro, agentes federais apreenderam 1,3 tonelada de cocaína em duas casas do empreário Imagem: Reprodução
Josmar Jozino

Sobre o Autor - Josmar Jozino é jornalista desde 1985. Autor de quatro livros, sendo três sobre crime organizado entre eles, "Cobras e Lagartos", obra referência sobre a facção criminosa PCC que recebeu menção honrosa do Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog em 2005

Colunista do UOL

30/03/2021 17h03

O brasileiro Eduardo de Oliveira Cardoso, 44, preso na Espanha, foi condenado nessa segunda-feira (29) pela Justiça Federal de Santos a 12 anos e oito meses por tráfico internacional de drogas.

A condenação dele foi publicada em primeira mão no portal Vade News pelo repórter Eduardo Velozo Fuccia.

O narcotraficante foi acusado de despachar toneladas de cocaína para o exterior pelos portos brasileiros, principalmente os de Santos, na Baixada Santista e o de Salvador, na Bahia.

Oliveira participava de uma feira industrial em Madri, capital espanhola, quando foi preso em 22 de outubro de 2019. A empresa dele, a BRK Internacional, tinha um estande no evento.

A Justiça Federal havia decretado a prisão preventiva dele. O nome de Oliveira foi incluído na difusão vermelha da Interpol, a Polícia Internacional.

Apesar de ter sido acusado por sete crimes de tráfico internacional, Oliveira foi denunciado apenas em um caso pelo Ministério Público Federal. Em fevereiro de 2020, agentes federais apreenderam 1,3 tonelada de cocaína em duas casas no Guarujá.

Também foram apreendidos um fuzil, cinco pistolas e 21 aparelhos de telefone celular, além de arquivos contendo imagens de drogas escondidas em vários tipos de carga. Segundo a Polícia Federal, a cocaína e o armamento eram de Oliveira.

Os telefones celulares foram periciados. Os vídeos analisados mostravam aos compradores da droga onde a cocaína estava escondida, comprovando assim a remessa para o destinatário final.

Em depoimentos à Justiça Federal, Oliveira sempre afirmou não ser narcotraficante. Ele negou ainda ser o homem que aparece nos vídeos acompanhando a ocultação das drogas no meio de cargas lícitas nos navios, antes das remessas para a Europa.

A sentença aplicada à Oliveira foi prolatada pelo juiz Roberto Lemos dos Santos Filho, da 5ª Vara Federal de Santos. A defesa do réu informou que vai recorrer da decisão.

O brasileiro está preso no Centro Penitenciário Madri V. O governo espanhol acatou pedido do Ministério da Justiça e Segurança Pública do Brasil para extraditar Oliveira.

Mas a extradição, até então marcada para 16 de dezembro do ano passado, foi suspensa graças a uma liminar em favor do réu concedida pela Justiça da Espanha na véspera da viagem.