PUBLICIDADE
Topo

Trump promete banir TikTok; embaixador no Brasil vira alvo do Congresso

Kennedy Alencar

O jornalista Kennedy Alencar é correspondente e comentarista da rádio CBN em Washington. Começou sua carreira em 1990 na “Folha de S.Paulo”, onde foi redator, repórter, editor da coluna “Painel” e enviado especial às guerras do Kosovo e Afeganistão. É autor do livro “Kosovo, a Guerra dos Covardes” (editora DBA). Na RedeTV!, apresentou durante cinco anos o programa de entrevistas “É Notícia” e mediou os debates presidenciais de 2010 e municipais de 2012. Estreou como comentarista da rádio CBN em 2011. Criou o "Blog do Kennedy" em 2013. Trabalhou no SBT entre 2014 e 2017. É produtor-executivo e roteirista do documentário “What Happened to Brazil”, realizado para a BBC World News. Com uma versão em português intitulada “Brasil em Transe”, o documentário retrata a crise que começa nas manifestações de junho de 2013, passa pelo impacto da Lava Jato e do impeachment de Dilma na política e na economia e resulta na eleição de Bolsonaro.

Colunista do UOL

01/08/2020 00h16

No fim de julho, a Califórnia quebra a marca dos 500 mil casos de covid-19. A pandemia se agrava nos Estados Unidos, sobretudo no sul e oeste do país. Pesquisas apontam dianteira do democrata Joe Biden no voto popular e nos estados decisivos para formar maioria no Colégio Eleitoral.

Nesse cenário, que torna difícil a reeleição de Donald Trump em 3 de novembro, o presidente americano ameaça banir o TikTok, aplicativo de origem chinesa para compartilhamento de vídeos curtos. Trump acirra a Guerra Fria 2.0 com a China a fim de buscar um bode expiatório porque sua resposta à pandemia é reprovada por dois terços dos americanos, de acordo com as pesquisas.

O jornal "The New York Times" informa que o Comitê de Relações Exteriores da Casa dos Representantes, equivalente à Câmara dos Deputados no Brasil, abriu procedimento para investigar eventual ação do embaixador dos EUA em Brasília, Todd Chapman, a favor da reeleição de Trump. Chapman estaria tentando obter do governo Bolsonaro, submisso a Trump, uma negociação favorável a exportadores de etanol do estado americano de Iowa.

O presidente americano, informa a jornalista Raquel Krahenbuhl, prometeu tomar decisão sobre o TikTok até sábado. Chapman, com seu chapéu de caubói, vive uma lua de mel com os Bolsonaro.

Trump fará tudo o que puder para tentar reverter a vantagem de Biden na disputa pela Casa Branca. Ele já gastou a semana tentando minar a credibilidade do voto pelo correio. Degradar a centenária democracia americana é a forma como o presidente opera para se manter no poder, mas isso tem assustado candidatos republicanos ao Senado que temem que ele esteja indo longe demais e os prejudique na campanha.

De tédio, não morreremos nesta eleição pandêmica.