PUBLICIDADE
Topo

Caso Miguel: Promotoria pede cassação do prefeito de Tamandaré

Sergio Hacker Corte Real é prefeito de Tamandaré (PE) - Reprodução/Facebook
Sergio Hacker Corte Real é prefeito de Tamandaré (PE) Imagem: Reprodução/Facebook
Rogério Gentile

Rogério Gentile é jornalista formado pela PUC-SP. Durante 15 anos, ocupou cargos de comando na redação da Folha de S.Paulo, liderando coberturas como a dos ataques da facção criminosa PCC, dos protestos de 2013 e das eleições presidenciais de 2010 e 2014, entre outras. Editou a coluna Painel e o caderno Cotidiano e foi secretário de Redação, função em que era responsável pelas áreas de produção e edição do jornal. Atuou como repórter especial da Folha de 2017 a 2020 e atualmente é colunista.

Colunista do UOL

01/07/2020 16h28

O Ministério Público de Pernambuco pediu à Justiça a cassação do mandado do prefeito de Tamandaré (PE), Sérgio Hacker Corte Real, bem como o bloqueio dos seus bens.

No dia 2 de junho, o menino Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos, que estava sob os cuidados de Sari Corte Real, mulher do prefeito de Tamandaré, morreu ao cair do nono andar de um dos prédios do condomínio Maurício de Nassau, no Recife.

A mãe de Miguel, Mirtes Renata Santana de Souza, era empregada doméstica do prefeito, embora seu nome constasse dos quadros de funcionários comissionados da administração municipal, assim como o da avó da criança, Marta Maria Santana Alves

A Promotoria apurou ainda que uma terceira funcionária pessoal do prefeito, Luciene Raimundo Neves, que trabalhava na residência de Tamandaré, também exercia um cargo comissionado na administração municipal.

Na ação o Ministério Público pediu o bloqueio de R$ 580.095,60 do prefeito e a sua condenação por improbidade administrativa.

O prefeito ainda não apresentou defesa à Justiça.