PUBLICIDADE
Topo

Rogério Gentile

Globo é condenada a indenizar a primeira vencedora do "Caminhão do Faustão"

Rogério Gentile

Rogério Gentile é jornalista formado pela PUC-SP. Durante 15 anos, ocupou cargos de comando na redação da Folha de S.Paulo, liderando coberturas como a dos ataques da facção criminosa PCC, dos protestos de 2013 e das eleições presidenciais de 2010 e 2014, entre outras. Editou a coluna Painel e o caderno Cotidiano e foi secretário de Redação, função em que era responsável pelas áreas de produção e edição do jornal. Atuou como repórter especial da Folha de 2017 a 2020 e atualmente é colunista.

Colunista do UOL

24/11/2020 12h01

A TV Globo foi condenada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) a indenizar em R$ 65,6 mil a primeira ganhadora do "Caminhão do Faustão", quadro que estreou em março de 1989 no programa do apresentador Fausto Silva na emissora.

O processo foi aberto porque a emissora, em 2015, no seu aniversário de 50 anos, resolveu homenagear o vencedor do primeiro "Caminhão do Faustão", mas acabou premiando outra pessoa.

Isabel Guedes Secco provou à Justiça ter sido a "legítima merecedora dos prêmios" entregues ao mecânico de barcos Fernando Jacometti, que acabou homenageado no quadro "Invasão de Privacidade".

"Que esse presente te traga muitas alegrias", disse o ator Danton Mello, encarregado à época de entregar o novo prêmio a Fernando, um carro e equipamentos para o seu trabalho, trazidos, novamente, por um caminhão do programa.

A Globo alegou à Justiça que sua intenção não era homenagear a primeira ganhadora do "Caminhão do Faustão", mas um dos primeiros. Jacometti teria sido escolhido em razão da sua "emocionante trajetória pessoal e de interesse coletivo".

A Justiça levou em conta na decisão o fato de que o apresentador Fausto Silva, durante a homenagem exibida em abril de 2015 no "Domingão", referiu-se por cinco vezes a Jacometti como "o primeiro ganhador do Caminhão do Faustão". O site da emissora trouxe uma postagem na qual os mesmos termos foram utilizados.

A Globo terá de entregar os mesmos bens a Isabel ou o valor equivalente (R$ 65,5 mil), acrescidos de juros.

Cabe recurso à decisão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.