PUBLICIDADE
Topo

Tales Faria


Frota confirmará milícia bolsonarista em depoimento na CPI das Fake News

Alexandre Frota diz que contará tudo que viu e ouviu na campanha eleitoral de Bolsonaro: "vivi intensamente o processo" - Denis Armelini/UOL
Alexandre Frota diz que contará tudo que viu e ouviu na campanha eleitoral de Bolsonaro: "vivi intensamente o processo" Imagem: Denis Armelini/UOL
Tales Faria

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, ?Todos os Sócios do Presidente?, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Colunista do UOL

25/10/2019 19h51

O deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) disse ao blog que irá confirmar na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News que a campanha de Bolsonaro trabalhou com uma "milícia digital".

Frota foi eleito quando filiado ao PSL. No início do mandato, atuava muito próximo da líder do governo no Congresso, Joice Hasselman (PSL-SP), afastada recentemente do cargo pelo presidente Jair Bolsonaro.

Foi expulso do partido em agosto, depois de desentendimentos com o guru bolsonarista, Olavo de Carvalho, e os filhos do presidente, além de ter-se negado a votar a favor do governo no segundo turno da reforma da Previdência na Câmara.

Ele será o primeiro a depor na CPMI.

"Vou falar toda a verdade do que vi e ouvi nesses anos todos. Principalmente na época das eleições. Vivi intensamente esse processo todo da eleição do Bolsonaro. Essa milícia digital é conhecidíssima. Acho que vou poder ajudar bastante, esclarecer muita coisa", disse.

No Twitter, Frota postou que os tais milicianos "estão com cargos, fingindo que são assessores parlamentares, mas não são. Acho que a partir de agora é sal".

Em tweet, Frota citou a "milícia suja" - reprodução
Em tweet, Frota citou a "milícia suja"
Imagem: reprodução

Ele disse que apontará os "covardes que atacam quem não aceita fazer parte da seita bolsonarista e olavista". E arrematou no Twitter: "Já sabemos disso, já sabemos quem é quem."

Num dos twits postado hoje ele conclama Joice, que também foi convidada a depor na CPMI a revelar fatos "de Curitiba" que, segundo afirma, poderiam causar uma crise: "Joice, sei que é forte, mas mete a boca e fala de Curitiba. Acho que a casa cai geral."

Ao blog ele não citou nomes. Sua estratégia é guardar algum suspense para o depoimento.

Em tempo: Curitiba é a sede da Operação Lava Jato, comandada pelo então juiz Sérgio Moro, hoje ministro da Justiça, e pelo procurador Deltan Dallagnol.