PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro chamou Sergio Moro de Judas, aquele que levou Cristo à morte

Sergio Moro, na ponta inferior esquerda da famosa foto reproduzindo a Santa Ceia da direita bolsonarista em Washington, em março de 2019 - foto Presidência da República
Sergio Moro, na ponta inferior esquerda da famosa foto reproduzindo a Santa Ceia da direita bolsonarista em Washington, em março de 2019 Imagem: foto Presidência da República
Tales Faria

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, ?Todos os Sócios do Presidente?, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Colunista do UOL

03/05/2020 09h53

Não foi uma boa escolha do presidente da República comparar o seu ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, a Judas Iscariotes.

Primeiro, porque Jair Messias Bolsonaro comete o engano de se julgar um messias, coisa que ele não é. E na verdade não há ninguém por aí que o seja.

Depois, porque ele e seus filhos são acusados de cometerem atos não muito cristãos, para dizer o mínimo.

E Judas traiu levando as autoridades a conseguir a prisão de Jesus.

Será que Sergio Moro tem, de fato, o segredo de como pegar Bolsonaro?

Por fim, o presidente não deveria ter evocado essa história por um motivo muito simples: Judas acabou levando Jesus à morte.

Vale a pergunta: terá sido um erro, ou um ato falho? Só Bolsonaro sabe se, de fato, Sergio Moro tem provas capazes de crucificar o presidente da República.

E, se isto ocorrer? O que será feito de Sergio Moro?

A cumprir-se a profecia metafórica do autointitulado messias, Judas suicidou-se.

Ou seja, o ex-ministro Sergio Moro teria entregado —no depoimento deste sábado, 2, à Polícia Federal em Curitiba— provas contra Jair que acabaram por incriminá-lo também.

Bem... A essa altura os bolsonaristas devem estar rezando para que seu profeta esteja errado.

E Moro também.