PUBLICIDADE
Topo

Tales Faria

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Tarado pela necropolítica, Bolsonaro diz que os outros é que são tarados

Tales Faria

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, ?Todos os Sócios do Presidente?, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Chefe da Sucursal de Brasília do UOL

07/01/2022 17h30Atualizada em 07/01/2022 18h09

O presidente Jair Bolsonaro chamou os defensores da vacinação para crianças, inclusive os técnicos da Anvisa, de "tarados por vacina".

O brasileiro não é tarado por vacina. Mas realmente a maioria da população, historicamente, sempre respondeu bem às campanhas de vacinação.

E essa predisposição à vacina é que permitiu diminuir o número de mortes, especialmente depois que, pressionado pela CPI da Covid, o governo decidiu promover a vacinação em massa da população.

Diga-se de passagem que é melhor ser tarado por vacina do que ser tarado pela morte dos outros. É assim, adepto da necropolítica, que se mostra um governo que adiou ao máximo a compra e a distribuição de vacinas contra a Covid. E que agora está adiando a vacinação de crianças de 5 a 11 anos.

Nessa mesma live Bolsonaro disse que não sabe de nenhuma criança que tenha morrido por Covid. Tem morrido uma criança a cada dois dias em média.

O problema é que o presidente tem esse mau hábito: só enxerga o que quer. Aquilo que ele não quer ver ele não enxerga, ou joga para baixo do tapete. Ou incentiva seus aliados a distribuir fake news sobre o tema.

Em algum momento, se não for reeleito, como parece agora que não será, Bolsonaro acabará sendo responsabilizado por tudo o que está fazendo. Esse trabalho de um gestor público em favor da propagação de uma pandemia é criminoso. Um crime!