PUBLICIDADE
Topo

Tales Faria

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Bolsonaro quer debates de mentirinha, fakes, uma farsa eleitoral

Bolsonaro propõe debates fake -  O Antagonista
Bolsonaro propõe debates fake Imagem: O Antagonista
Tales Faria

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, ?Todos os Sócios do Presidente?, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Colunista do UOL

31/05/2022 16h54Atualizada em 31/05/2022 20h57

A proposta foi feita pelo presidente Jair Bolsonaro em uma entrevista, de verdade, à Rádio Massa FM, do Paraná: "Eu acho que debate teria que ser para ter perguntas pré-acertadas antes, com os encarregados de fazer o debate, para não baixar o nível."

Deu para entender? Ele quer receber as perguntas antes e ter tempo de submetê-las a seus assessores, que provavelmente redigiriam as respostas. Digamos, um debate fake.

Trata-se de um raciocínio lógico em se tratando de Bolsonaro. Se ele tiver que responder de improviso, muito provavelmente vai baixar o nível do debate. Não é mesmo?

Pode ocorrer de o presidente sair-se com aqueles palavrões que profere em algumas solenidades, quando tenta explicar por que a inflação está tão alta, o que há com o preço do diesel e do petróleo, ou qual o motivo de ter assinado indulto contra a condenação do deputado Daniel Silveira pelo Supremo Tribunal Federal.

Mas alguém tem que explicar ao presidente que o debate franco de ideias é o cerne de uma democracia. Não há necessidade de xingamentos ou de baixar o nível. Mas pressupõe polêmica, choque de ideias para que se possa extrair uma conclusão, escolher o melhor caminho.

Bolsonaro quer fugir disso. Não quer debater. Quer um programa de TV ou de internet em que os candidatos façam um debate de mentirinha, expondo não as suas ideias, mas propostas de técnicos e marqueteiros que mais atraiam eleitores. Sem riscos de escorregões que revelem o que de fato os candidatos pensem.

Não seriam debates, mas sim uma farsa. Em tempos de fake news, teríamos debates fakes.