PUBLICIDADE
Topo

UOL Confere

Uma iniciativa do UOL para checagem e esclarecimento de fatos


Ministério da Saúde não está telefonando para oferecer álcool gel e máscara

Ministério da Saúde afirma que telefonemas para oferecer álcool gel são falsos - Marcelo D. Sants/FramePhoto/Estadão Conteúdo
Ministério da Saúde afirma que telefonemas para oferecer álcool gel são falsos Imagem: Marcelo D. Sants/FramePhoto/Estadão Conteúdo

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

26/03/2020 16h34Atualizada em 26/03/2020 19h45

Moradores de São Paulo têm recebido, nos últimos dias, ligações de pessoas que se passam como integrantes do Ministério da Saúde para oferecer álcool gel e máscaras para pessoas que estejam em situações de risco devido ao novo coronavírus.

O Ministério da Saúde, no entanto, afirma que esses telefonemas são falsos.

Nas ligações, os interlocutores pediam aos moradores seus endereços e, depois disso, afirmavam que iriam enviar os objetos de prevenção à UBS (Unidade Básica de Saúde) mais próxima.

Segundo a Polícia Civil, casos do tipo não estão sob investigação. No caso específico do Ministério da Saúde, se houvesse alguma investigação, estaria sob jurisdição da Polícia Federal (PF).

Fake news vira caso de investigação

Nos últimos dias, o Ministério Público (MP) informou que mais de 30 anúncios de marketplaces foram retirados da internet. Essas páginas de venda online de produtos falsificados, como álcool gel, máscaras e luvas, são investigadas por crimes contra a economia popular e por corrupção de materiais utilizados na área da saúde.

Após denúncia da Promotoria, um site com anúncio feito pelo WhatsApp, que direcionava a um local que "roubava" os dados de quem acessava, foi derrubado.

O CyberGaeco, órgão do MP, informa que tem recebido vários pedidos de intervenções das Promotorias Criminais, trabalhando de maneira integrada com outros setores da Promotoria, em casos semelhantes.

Polícia prende quem vende produto falsificado

Na última semana, as polícias Civil e Militar de São Paulo detiveram em flagrante ao menos 32 pessoas suspeitas de venderem medicamentos e/ou álcool gel adulterados, na promessa de combater o novo coronavírus, de acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP).

Além de produtos adulterados, foram motivo de prisão no estado paulista casos de falsificação de testes e pessoas se passando por farmacêuticas, oferecendo receitas médicas.

Desde segunda-feira (23), a PM também emite mensagens sonoras, por meio das viaturas, para alertar a população sobre a covid-19. São alertas que informam a importância do isolamento social, além de outras medidas de prevenção.

O UOL Confere é uma iniciativa do UOL para combater e esclarecer as notícias falsas na internet. Se você desconfia de uma notícia ou mensagem que recebeu, envie para uolconfere@uol.com.br.

UOL Confere