PUBLICIDADE
Topo

UOL Confere

Uma iniciativa do UOL para checagem e esclarecimento de fatos


UOL Confere

Osmar Terra ignora colapso nos hospitais e distorce dados de covid-19 no RS

O deputado federal Osmar Terra (MDB-RS) - Pedro Ladeira/Folhapress
O deputado federal Osmar Terra (MDB-RS) Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Juliana Arreguy

Do UOL, em São Paulo

26/03/2021 19h50

O deputado federal Osmar Terra (MDB-RS) distorce dados da covid-19 ao publicar, em rede social, que desde o dia 18 de março começou a cair a curva de novos casos registrados no Rio Grande do Sul. O UOL Confere apurou que, além de incorreto, o post ignora a superlotação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) no estado e as medidas de restrição em vigor.

Na quarta-feira (24), Terra afirmou no Twitter que desde 18 de março houve redução de casos de covid-19 no RS e que em alguns dias diminuiriam as internações. No entanto, ele omitiu que todo o estado se encontra na fase mais restritiva do plano de contingência e que há menor circulação de pessoas nas ruas.

A evolução de novos casos registrados em 24 horas no mês de março não é linear. De acordo com os números do consórcio de veículos de imprensa, recolhidos junto à Secretaria Estadual da Saúde, após o dia 18 foram apresentados ainda mais diagnósticos entre um dia e outro. As únicas exceções foram nos dias 20, 21 e 22, período que abarca o fim de semana e historicamente apresenta valores menores em função do funcionamento da coleta de dados.

Além disso, o deputado também omitiu que o número de mortes no estado continua alto, com média diária de 261 óbitos por dia na última semana e aceleração de 34% em relação aos últimos 14 dias.

Confira, no gráfico abaixo, a evolução de novos casos e mortes no estado ao longo de março:

Superlotação em UTIs

Dois dias antes da fala de Terra, o Rio Grande do Sul atingiu o recorde de mortes em 24 horas (501). O estado chegou a ser apontado como referência no combate ao coronavírus em 2020, mas passou a apresentar índices preocupantes este ano após o aumento de circulação de pessoas.

Há 23 dias, os leitos de UTI operam acima de 100% da capacidade. Houve, de fato, uma redução na aceleração de internações em alguns dias da última semana, o que não significa que o estado não esteja enfrentando superlotação nos hospitais.

uti_rs - Reprodução/SES-RS - Reprodução/SES-RS
Situação dos leitos de UTI em hospitais do Rio Grande do Sul em 26/03
Imagem: Reprodução/SES-RS

Confira, abaixo, a quantidade de pacientes acima da capacidade das UTIs do RS nos últimos dias:

  • 18/3 - 272 pacientes
  • 19/3 - 251 pacientes
  • 20/3 - 228 pacientes
  • 21/3 - 257 pacientes
  • 22/3 - 216 pacientes
  • 23/3 - 217 pacientes
  • 24/3 - 170 pacientes
  • 25/3 - 174 pacientes
  • 26/3 - 178 pacientes

Terra alega que a redução se deve à "grande quantidade de imunizados pela própria doença", mas ignora que desde o fim de fevereiro todo o estado se encontra sob a bandeira preta do plano de contingência.

A classificação restringe a circulação de pessoas, proíbe permanência nas praias, suspende as aulas presenciais e permite o funcionamento apenas de atividades essenciais. Com isso, há menos pessoas nas ruas e menor risco de contágio da covid-19.

Crítico do isolamento social, também neste mês o deputado divulgou uma carta de pesquisadores contra medidas de lockdown. O documento apresentava nomes falsos entre os signatários e não continha estudos que corroborassem as críticas.

Novo epicentro da doença no mundo, o Brasil registrou ontem recorde de novos casos — 97.586 infectados — e 2.639 mortes em 24 horas. O país já ultrapassou as 300 mil mortes pelo coronavírus e é o segundo com mais óbitos pela doença em todo o mundo.

O UOL Confere é uma iniciativa do UOL para combater e esclarecer as notícias falsas na internet. Se você desconfia de uma notícia ou mensagem que recebeu, envie para uolconfere@uol.com.br.

UOL Confere