PUBLICIDADE
Topo

Prejuízo causado por ruptura de barragens é de R$ 100 mi, estima prefeitura

Antonio Cruz/Agência Brasil
Imagem: Antonio Cruz/Agência Brasil

Fabiana Maranhão

Do UOL, em São Paulo

11/11/2015 14h29Atualizada em 11/11/2015 14h29

O prejuízo em infraestrutura causado pelo rompimento de duas barragens em Mariana (a 115 km de Belo Horizonte), na semana passada, é de R$ 100 milhões. A estimativa inicial foi divulgada nesta quarta-feira (11) pela prefeitura municipal.

Esse valor pode aumentar já que se baseia em um levantamento preliminar feito pela Secretaria Municipal de Obras, que ainda realiza o estudo.

De acordo com o levantamento, a onda de lama que invadiu o subdistrito de Beto Rodrigues na última quinta-feira (5) destruiu dez pontes, entre rodoviárias e de pedestres, 4,5 km de ruas e 18,5 km de estradas vicinais.

Os rejeitos de mineração que estavam armazenados nas barragens do Fundão e de Santarém também atingiram três igrejas, quatro escolas, dois postos de saúde, dois cemitérios e quatro reservatórios de água, além de 349 residências.

A Prefeitura de Mariana quer que a Samarco, empresa que controla as barragens que romperam, seja responsabilizada e arque com esses prejuízos. 

Em entrevista na tarde de hoje no escritório da Samarco em Mariana, executivos da empresa e das mineradoras Vale e BHP Billiton, acionistas da Samarco, se pronunciaram publicamente pela primeira vez desde a tragédia. Eles lamentaram o que aconteceu e informaram que será criado um fundo financeiro para ajudar na reconstrução das áreas atingidas. O valor do fundo ainda não foi definido. (Com Reuters)

Cotidiano