PUBLICIDADE
Topo

Mulher é morta pelo marido na garagem de casa no DF

Taxista Januário de Souto, de 61 anos, suspeito pela morte de sua mulher no DF - Divulgação
Taxista Januário de Souto, de 61 anos, suspeito pela morte de sua mulher no DF Imagem: Divulgação

Jéssica Nascimento

Colaboração para o UOL

07/08/2018 19h18Atualizada em 07/08/2018 19h18

Uma mulher foi morta a tiros em casa pelo marido, na noite do último domingo (5), no bairro Recanto das Emas, no Distrito Federal. Segundo a Polícia Civil, o taxista Januário de Souto, de 61 anos, fugiu após o crime, mas se entregou no fim da tarde deste terça (7). Ele vai responder por feminicídio.

O crime ocorreu por volta de 20h. Segundo o boletim de ocorrência, ao qual o UOL teve acesso, Marília Jane de Sousa Silva, foi atingida pelo primeiro disparo quando estava na cama. Ela tentou fugir, mas levou outros três tiros na garagem da casa. Uma das balas acertou o tórax da dona de casa, que não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Segundo o Corpo de Bombeiros, Souto trancou o portão antes de fugir. A corporação teve de estourar o cadeado para tentar socorrer a mulher.

Leia mais:

De acordo com o delegado Sérgio Bautzer, que investiga o caso, o homem agiu friamente. "A Marília Jane caiu sem vida na garagem. Logo em seguida, Souto retirou o carro dele que estava no local e estacionou o táxi fora da casa. Depois, colocou o veículo da mulher dentro de casa. Em nenhum momento se desesperou", disse.

Segundo a polícia, Januário de Souto utilizou um revólver calibre 38 para matar a mulher. A arma não tinha registro. O homem, que não tinha passagens pela polícia, vai responder por feminicídio. Se condenado, pode pegar de 12 a 30 anos de prisão. Ele também pode responder por porte ou posse irregular de arma.

O suspeito permaneceu calado durante todo o tempo que permaneceu na Delegacia do Recanto das Emas. O homem foi acompanhado do advogado, que informou à imprensa, que Souto só vai se pronunciar sobre o crime na Justiça.

Cotidiano