Topo

Barroso pede que delegada fale sobre inquérito contra filho de Flordelis

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

02/07/2019 09h18

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), pediu que a titular da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, Barbara Lomba, se manifeste com urgência a respeito do pedido de Flávio dos Santos, filho da deputada federal Flordelis (PSD-RJ), por acesso ao inquérito que apura a morte de seu padrasto, o pastor Anderson do Carmo. Flávio está preso suspeito por ligação com o assassinato.

Barroso, relator da ação no Supremo, determinou ontem que a manifestação da delegada seja feita no prazo de cinco dias a partir da notificação do despacho, o que ainda não aconteceu. Após Lomba apresentar seus argumentos, o ministro deverá decidir sobre o acesso ao inquérito.

Segundo a defesa de Flávio, a delegada não lhe permite acesso ao procedimento de investigação. Os advogados apontam que a delegacia argumenta que o inquérito está sob sigilo. Os defensores apontam que só possuem acesso a informações do caso pela imprensa.

"Não é possível conceber que uma autoridade administrativa dê conhecimento a órgãos de imprensa sobre o conteúdo de investigações secretas ao mesmo tempo em que nega aos investigados o direito de acesso para que possam exercer a garantia constitucional de ampla defesa", argumentaram os advogados em petição apresentada no domingo (30).

A defesa chega a dizer que a falta de acesso ao inquérito "pode até ocultar uma conduta ainda mais grave, como uma espécie de eventual patrulhamento político-ideológico", sem entrar em detalhes sobre a tese.

Na madrugada de 17 de junho, Carmo foi assassinado ao chegar com Flordelis em sua casa, em Niterói, na região metropolitana do Rio.

Câmeras de segurança mostram como foi a noite do assassinato do pastor

UOL Notícias

De acordo com laudo do IML (Instituto Médico Legal), o corpo do pastor teve mais de 30 perfurações, sendo um na cabeça.

A polícia e o MP (Ministério Público) sustentam que Flávio confessou ter atirado seis vezes contra o pastor. Sua defesa, porém, nega que ele tenha confessado o crime. Além de Flávio, Lucas dos Santos, filho adotivo de Flordelis, também está preso por suspeita de participação no crime.

"Eu quero justiça", diz Flordelis após depoimento

Band Notí­cias

Mais Cotidiano