Topo

Dodge: Prisão nem sempre tem efeito desejado, e massacres desonram a nação

Fábio Motta/Estadão Conteúdo
Imagem: Fábio Motta/Estadão Conteúdo

Luis Adorno

Do UOL, em João Pessoa

31/07/2019 22h37

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirmou na noite de hoje (31) que massacres em presídios, como o ocorrido há dois dias em uma unidade de Altamira (PA), "nos desonra como país, como nação".

Ela também defendeu que o aumento da população carcerária seja objeto de reflexão e disse que o encarceramento em massa pode não trazer o resultado esperado pela sociedade.

Dodge relembrou dado recente divulgado pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça), que registrou que a população carcerária do Brasil chegou a 812 mil pessoas.

"Desse total, 330 mil são de presos provisórios. Não foram condenados, mas estão encarcerados por razões determinadas pela lei. Devemos refletir sobre esses dados, porque nem sempre o encarceramento provoca o efeito inibitório desejado do efeito penal", afirmou na abertura do encontro nacional do FBSP (Fórum Brasileiro de Segurança Pública), que é realizado em João Pessoa.

Ela também convocou a população a repudiar "massacres ocorridos em prisões, como o do interior do Pará".

O episódio terminou com 58 mortes no Centro de Recuperação Regional de Altamira. Investigações da Abin (Agência Brasileira de Investigação) e do estado paraense apontam que o massacre ocorreu a partir de membros da facção CCA (Comando Classe A) contra integrantes do CV (Comando Vermelho).

"Devemos nos unir nesse esforço conjunto de promover o que a constituição determina: pena a ser cumprida de forma justa e em condições adequadas. Tragédias como essas nos desonram como povo, como nação", complementou a procuradora-geral.

O Pará faz parte da chamada "rota caipira", por onde passa a cocaína que chega ao Brasil dos países andinos passa para chegar ao Nordeste e ao exterior. No estado, a CCA é aliada à facção paulista PCC (Primeiro Comando da Capital). As facções disputam o território pelo tráfico de drogas.

Presos são transferidos após 58 mortes em presídio

Band Notí­cias

Cotidiano