Topo

Três pessoas são internadas após passarem mal com droga em gel durante rave

Daniel Leite

Colaboração para o UOL, em Juiz de Fora (MG)

18/10/2019 22h32

Três pessoas foram internadas, uma delas em estado gravíssimo, depois de fazerem uso de uma droga, ainda não identificada pela polícia, durante uma festa rave em Guarapari (ES), no litoral do estado. Ainda não se sabe qual substância foi ingerida, mas a polícia informou que ela causa um "efeito devastador" no organismo.

Das três pessoas hospitalizadas, duas ainda não tiveram alta e não há previsão. A investigação acredita existirem mais frequentadores que consumiram o entorpecente e passaram mal.

O "Evento Ecologic" ocorreu nos dias 12 e 13 desse mês, na praia Doce, no bairro de Meaípe. Em nota, a empresa organizadora lamentou o ocorrido, afirma ter prestado socorro e disponibilizado equipe de segurança, socorristas, salva-vidas e médico de plantão. Mas, segundo a polícia, os promotores serão investigados se tiveram ou não responsabilidade sobre o fato.

De acordo com o delegado do Departamento Especializado de Narcóticos, a suspeita inicial é que a substância ingerida se chama "mescalina", com origem no México, misturada com ecstasy. "[Essas duas substâncias] em conjunto ocasionaram esse efeito devastador no organismo dos usuários", afirmou Diego Bermond.

A droga teria sido vendida em gel, segundo uma das pessoas que já teve alta contou para a polícia.

"A gente já ouviu preliminarmente um indivíduo que recebeu alta. Ele falou que seria uma cápsula em gel e dentro dessa substância lhe foi informado no momento da aquisição que havia mescalina junto com MDMA, substância popularmente conhecida como ecstasy", disse o delegado.

Já há uma suspeita de onde a droga foi comprada, mas esse detalhe não foi revelado na coletiva de imprensa.

Frequentadores que estiveram no evento e não fizeram uso da substância também serão chamados a depor para ajudar na apuração do caso. "Nós acreditamos que tenham outras vítimas. Os investigadores estão diligenciando atrás de hospitais para tentar identificar esses outros indivíduos que possam ter consumido a droga e também foram hospitalizados", afirmou Bermond.

O delegado informou que os promotores da festa foram intimados a prestar depoimento e, se ficar comprovado que tinham ciência da venda da substância no local, serão responsabilizados.

O Evento Ecologic acontece em várias cidades. Segundo a nota enviada à reportagem, conta com "equipe de segurança com revista minuciosa", bem como com "todos os alvarás solicitados".

O delegado-geral de Polícia Civil, porém, relatou que a empresa não tinha alvará para realizar a festa e vai investigar esse detalhe. José Darcy Arruda também pediu ajuda da população para descobrir os responsáveis pelo ingresso da droga no estado.

"É um alerta. É uma droga muito perigosa, que pode causar a morte. E quem tem conhecimento de quem são esses traficantes que estão introduzindo essa droga aqui no Espírito Santo, que faça a denúncia no 181, que nos ajude a encontrarmos e prendermos o mais rápido possível."

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Cotidiano