Topo

Idoso morre após ser agredido, amarrado a carro e arrastado por 2 km em SP

Valmir Rodrigues de Souza, 73 anos, foi morto dentro de um sítio em Pereira Barreto (SP) - Arquivo Pessoal
Valmir Rodrigues de Souza, 73 anos, foi morto dentro de um sítio em Pereira Barreto (SP) Imagem: Arquivo Pessoal

Simone Machado

Colaboração para o UOL, de São José do Rio Preto (SP)

23/10/2019 14h56

Valmir Rodrigues de Souza, 73 anos, foi morto dentro de um sítio e teve o corpo amarrado a um carro e arrastado por dois quilômetros, em uma estrada de terra, em Pereira Barreto, interior de São Paulo. O crime aconteceu na noite de ontem. O autor do crime foi preso após cinco horas de negociação com a polícia.

De acordo com a Polícia Militar, por volta das 19h, o idoso tratava dos animais na propriedade rural quando Everaldo Lima de Oliveira, 48 anos, chegou ao local. Os dois, que não se conheciam, teriam começado a discutir.

Ainda segundo a polícia, durante a discussão Everaldo agrediu o idoso com uma barra de ferro, amarrou a vítima pelo pescoço em um carro e o arrastou por uma estrada de terra por cerca de dois quilômetros, abandonando o corpo próximo a um matagal.

Um tratorista que passava pelo local viu o corpo e chamou a polícia. A vítima apresentava diversos ferimentos e estava sem vida.

Reação e negociação

Após fazer a identificação do idoso, policiais foram até o sítio onde ele morava e encontraram o suspeito no local. Everaldo se trancou no imóvel e passou a ameaçar os policiais. Segundo a ocorrência ele estava estressado e muito agressivo.

Após cinco horas de negociações, os policiais invadiram o imóvel pelo telhado e atingiram Everaldo com um tiro de bala de borracha. Com ele foi apreendida uma foice.

O agressor teria dito aos policiais que cometeu o crime para ficar com o sítio, já que a vítima morava sozinha no local.

Everaldo foi levado para a delegacia da cidade e encaminhado para o presídio de Ilha Solteira. Ele possui passagem por homicídio e estava foragido do presídio de Valparaíso, no interior paulista, desde do dia 14 de outubro.

Everaldo se trancou no imóvel e foi preso após cinco horas de negociações - Divulgação/Polícia Militar
Everaldo se trancou no imóvel e foi preso após cinco horas de negociações
Imagem: Divulgação/Polícia Militar

Cotidiano