PUBLICIDADE
Topo

RN: Empresário com coronavírus reúne amigos em festa; polícia investiga

Francisco das Chagas Neto  - Reprodução/Facebook
Francisco das Chagas Neto Imagem: Reprodução/Facebook

Aliny Gama e Ricardo Araújo

Colaboração para o UOL, em Maceió e Natal

02/04/2020 12h18

O empresário Francisco das Chagas Neto, 28, quebrou a quarentena imposta pelo governo do Rio Grande do Norte via decreto publicado no dia 21 de março e reuniu pelo menos 15 amigos numa festa particular. A celebração ao redor de uma piscina ocorreu no dia 28 de março na cidade de Carnaubais, distante 203 quilômetros de Natal. Uma semana antes, Francisco Neto apresentava sintomas de contaminação por coronavírus e realizou o teste no Hospital Municipal de Carnaubais. O resultado, positivo, foi recebido pela Secretaria Municipal de Saúde de Carnaubais um dia após a festa. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil do Rio Grande do Norte.

"Ele ficou desesperado. Ele se desesperou quando recebeu o resultado positivo. Fizemos uma busca ativa das demais pessoas que participaram da festa e eles assinaram um termo cientes de que deveriam ficar em quarentena", relata a secretária de Saúde de Carnaubais, Jussaly de Medeiros. O caso do empresário Francisco das Chagas Neto é o primeiro confirmado para covid-19 no município. Conforme boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN) ontem, outras dez pessoas na cidade estão sob suspeita de contaminação.

O problema, porém, vai além do município onde ocorreu a festa. Francisco Neto convidou um amigo da cidade vizinha, Alto do Rodrigues, que contabiliza oito casos suspeitos da doença, sem nenhuma confirmação até o momento, segundo a Sesap/RN. De acordo com Jussaly de Medeiros, o empresário infectado não apresentou os sintomas mais característicos da covid-19, como dificuldade para respirar e febre alta. "Ele apresentava sintomas de uma gripe comum, ficou em casa por uns dias até fazer o teste. Quando o resultado chegou, ele já estava assintomático", ressalta.

Apesar de identificadas e notificadas pelas autoridades de saúde, as demais pessoas que participaram da festa promovida por Francisco Neto não foram testadas para o coronavírus. "Estão todos assintomáticos e não foram testados. Se desenvolverem os sintomas, serão testados", explica Jussaly de Medeiros. O município de Carnaubais não dispõe de testes e quando precisa realizá-los, solicita à Unidade Regional da Sesap/RN em Mossoró, cidade distante 74 quilômetros. "Os testes demoram a ser feitos e os resultados demoram ainda mais. Precisamos ir buscar em Mossoró, depois voltamos para Carnaubais e enviamos os testes para Natal, onde são analisados. Isso demora quase dez dias. Há burocracia e lentidão", enfatiza Jussaly de Medeiros.

O UOL procurou o empresário Francisco das Chagas Neto para comentar o caso, mas ele não atendeu as chamadas telefônicas, tampouco respondeu as mensagens enviadas.

Nas imagens da festa, ele aparece molhado, como se tivesse tomado banho de piscina, dançando com uma lata de cerveja na mão. Enquanto isso, ele mostra as sete pessoas tomando banho na piscina, que está com a água de cor amarela, e dois convidados outras estão próximo ao aparelho de som.

No outro vídeo, Chagas aparenta alguns sintomas da covid-19, como secreção no nariz, e pede desculpas as pessoas, além de dizer que foi "irresponsável" por ter dado a festa no período de quarentena. Na gravação, por várias vezes, ele passa a mão no nariz para limpar a secreção que estava escorrendo.

"Peço desculpa a sociedade, peço perdão a Deus, peço perdão às pessoas que estiveram comigo, peço perdão a você que de alguma forma atingi direta ou indiretamente. Eu estou mal, tenham compaixão. Ao invés de julgar, ao invés de condenar, orem por mim que estou precisando de reza, de força", disse. "Errei, fui irresponsável, devia uma resposta à sociedade e quem me conhece sabe da minha índole, do coração que eu tenho, vou ajudar muita gente", completou Chagas, no vídeo.

Polícia investiga o caso

Na comemoração, Chagas sabia que estava em período de isolamento após ser orientado pelo serviço de saúde do município. A Polícia Civil investiga se ele teve intenção de contaminar outras pessoas com a covid-19.

Ao tomar conhecimento do caso, a delegada Anna Laura Martins, titular da delegacia de Carnaubais, instaurou inquérito policial, esta semana, e vai intimar o empresário para ele prestar depoimento. Pessoas que estavam na festa também serão chamadas para as oitivas.

A polícia informou que Chagas está sendo investigado pelos crimes de praticar com o fim de transmitir a outrem moléstia grave de que está contaminado, ato capaz de produzir o contágio, crime disposto no artigo 131 do Código Penal Brasileiro, e Expor a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e iminente, disposto no artigo 132 do Código Penal Brasileiro, além de expor a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e iminente) e 268 (Infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa, no artigo 268 do Código Penal Brasileiro.

A polícia tem 30 dias para concluir as investigações e instaurar o inquérito, indiciando ou não o empresário. O prazo pode ser prorrogado por igual período, caso haja necessidade. Após a conclusão, em caso de indiciamento, o inquérito será remetido ao Ministério Público, que decidirá se o empresário será denunciado ou não à Justiça. Caso o MP acolha a denúncia e remeta à Justiça, o juiz do município decidirá ainda se aceitará a denúncia para que o empresário se torne réu do processo. Por enquanto ele é investigado pela polícia.

Quarentena

Para tentar diminuir a infecção de pessoas pela covid-19, o governo do Rio Grande do Norte publicou o decreto 29.541/2020 proibindo aglomerações, como festas, e as polícias militar e civil estão em alerta às denúncias em caso de pessoas descumprirem a determinação. Segundo a PM, houve um caso de desobediência ao decreto, onde 23 pessoas foram presas na zona norte de Natal durante uma festa ocorrida no último domingo (29)

Segundo o tenente-coronel Eduardo Cruz, da PMRN, as pessoas estavam um espaço particular e descumpriram a ordem da Polícia Militar de encerrar o evento e irem embora. Os presos foram levados para a Central de Flagrantes da zona norte de Natal.

"Primeiramente, estamos orientando as pessoas, pois observamos que são três grupos de pessoas, ignorante por desconhecimento do decreto; o segundo exemplo é aquela pessoa, coitada vendedora de coco. Orientamos, ela reclama, mas vai embora para casa e o terceiro que é o pior: o cara que faz por maldade mesmo. Os dois primeiros casos são conversas e o terceiro já é prisão, condução par a delegacia. Nesse caso de Carnaubais, não houve denúncia para irmos lá. Mas, a Polícia Civil está investigando", informou o tenente-coronel.

Além da fiscalização de aglomerações, a PM está atuando nas barreiras sanitárias que alguns municípios adotaram para conter o avanço da covid-19. O exemplo é na RN-120, que dá acesso a Nova Cruz. A Polícia Militar está atuando junto com a secretaria municipal de saúde na barreira sanitária monitorando quem entra e quem sai do município.

"Estamos dando cumprimento ao que está estabelecido no decreto. Observância de pessoas que estão com quadro sintomatológico da covid-19. Essas ações são importantes para assessorar os órgãos que precisem do nosso apoio", diz o tenente-coronel Eduardo Cruz.

Mortes pela covid-19 no RN

De acordo com boletim epidemiológico, divulgado ontem, no rio Grande do Norte duas pessoas morreram de covid-19 e 92 estão com a doença. Há ainda 1.777 casos suspeitos, que aguardam resultado de exames.

Uma das vítimas da covid-19 no Rio Grande do Norte foi o professor de química da Uern (Universidade Estadual do Rio Grande do Norte), Luiz Di Souza, 61. Ele morreu na noite do último sábado (28), após quatro dias internação em um hospital particular em Mossoró. Já a segunda vítima fatal da covid-19 foi o gastrólogo Matheus Aciole, 23. Ele morreu em Natal é a pessoa mais jovem do Brasil vítima fatal da doença.

Coronavírus