PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Rio: Sequestro termina com 4 traficantes entregues e dois fuzis apreendidos

27.ago.2020 - Mulher foi feita refém por mais de três horas - Reprodução/Internet
27.ago.2020 - Mulher foi feita refém por mais de três horas Imagem: Reprodução/Internet

Gabriel Sabóia

Do UOL, no Rio

27/08/2020 17h11

A mulher que era feita refém na tarde de hoje por quatro criminosos que invadiram um imóvel na rua Maia Lacerda, durante fuga do Complexo do São Carlos, foi libertada após mais de três horas de negociações feitas por policiais. O porta-voz da Polícia Militar do Rio, coronel Mauro Fliess, afirmou que o sequestro terminou sem o disparo de tiros.

"Eram quatro homens que faziam uma mulher refém no interior de uma casa, um deles seria o sucessor natural do líder do tráfico na região do São Carlos. Depois de horas de negociação, eles se entregaram. A vítima está bem e os criminosos foram levados para a Cidade da Polícia", afirmou Fliess em entrevista à GloboNews. De acordo com ele, dois fuzis e duas pistolas foram apreendidas com os criminosos.

Confrontos entre facções rivais no Complexo do São Carlos, no bairro do Rio Comprido, na região central do Rio, começaram ontem à noite e voltaram a acontecer hoje à tarde. O conflito é decorrente de uma tentativa de invasão de traficantes rivais para tomada do conjunto de favelas.

Até agora, ao menos duas pessoas morreram e seis foram baleadas. Ontem, em meio a um tiroteio na região, uma mulher, que tentava proteger o filho de 3 anos, morreu e, na madrugada desta quinta-feira (27), uma família foi também feita refém em um condomínio.

Além de Ana Cristina da Silva, que morreu protegendo o filho, um homem ainda não identificado também veio a óbito. Entre os feridos, estão três suspeitos e outras três vítimas de bala perdida.

Dois dos supostos traficantes estão internados no Hospital Souza Aguiar, sob custódia da PM-RJ. Ainda não há informações sobre o estado de saúde dos feridos. Moradores relataram na tarde de hoje disparos de armas de grosso calibre e até granadas. Equipes de reportagem ficaram no meio do fogo cruzado. Viaturas da Polícia Militar do Rio e um blindado, o chamado Caveirão, foram ao local.

Polícia Civil detectou plano de invasão há 2 semanas

A Secretaria de Estado de Polícia Civil informou que há cerca de duas semanas o setor de inteligência da 6ª DP (Cidade Nova) detectou movimentação de traficantes de uma facção que pretendiam tomar o território de comunidades que fazem parte do Complexo do São Carlos.
Segundo a polícia, na ocasião, não foi possível definir a data e o horário da invasão, que teve início na tarde de ontem. A informação foi então repassada à Inteligência da Polícia Militar.

Cotidiano