PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

ES: enfermeira será investigada pelo MP e pode perder registro profissional

Nathanna Faria Ceschim gravou um vídeo nas dependências de um hospital do ES debochando da vacina contra covid-19. - Reprodução/Instagram
Nathanna Faria Ceschim gravou um vídeo nas dependências de um hospital do ES debochando da vacina contra covid-19. Imagem: Reprodução/Instagram

Jean Sfakianakis

Colaboração para o UOL, em São Paulo

26/01/2021 11h55

Após ser demitida ontem pelo Hospital Santa Casa de Misericórdia de Vitória depois de postar um vídeo nas redes sociais debochando da CoronaVac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan contra a covid-19, a enfermeira Nathanna Faria Ceschim será investigada pelo MPES (Ministério Público do Espírito Santo) e pelo Coren-ES (Conselho Regional de Enfermagem do Espírito Santo), podendo até ter seu registro profissional cassado.

Em comunicado divulgado à imprensa na noite de ontem, o MPES disse que Nathanna será investigada por não usar equipamentos de segurança contra covid-19 enquanto gravava um vídeo nas dependências do hospital.

"O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio da Promotoria de Justiça Cível de Vitória, instaurou, na segunda-feira (25/01), procedimento para apurar supostas irregularidades na conduta de profissional de saúde quanto ao não uso de equipamentos de proteção individual, em especial da enfermeira Nathanna Faria Barbosa Ceschim, no exercício de suas funções no Hospital Santa Casa de Misericórdia de Vitória", escreveu em nota.

O MP informou ainda que a enfermeira colocou em risco a vida de pacientes e outros profissionais da saúde ao não utilizar equipamentos obrigatórios. "A conduta da profissional de enfermagem, conforme destaca o MPES, coloca em risco a vida e a saúde dos pacientes e até dos profissionais que atuam no referido hospital, e descumpre protocolos sanitários, principalmente em período de emergência em saúde pública em razão da covid-19", disse.

O Hospital Santa Casa, que já demitiu Nathanna e por meio de nota disse que não se pronunciaria mais sobre o caso, terá que responder ao MP sobre as irregularidades. Ao Coren-ES e à Sesa (Secretária de Saúde do Espírito Santo), uma vez que o hospital presta serviços filantrópicos em parceria com a secretária, também foram enviados ofícios para a apuração dos fatos.

Coren-ES pode aplicar advertência verbal até cassação de registro

Ao UOL, o Coren-ES, que anteriormente havia divulgado uma nota de repúdio sobre a "conduta de uma enfermeira de Vitória que desdenhou a vacina para conter a pandemia", agora disse que avalia uma possível advertência à Nathanna.

"Em relação ao caso da enfermeira, o Conselho Regional de Enfermagem do Espírito Santo (Coren-ES) analisará as imagens feitas pela profissional e, seguindo os ritos do Código de Processo Ético e do Código de Ética da categoria, irá avaliar se houve ou não infração ética. Caso seja confirmada a infração, a profissional receberá penalidade que pode ser desde uma advertência verbal à cassação do registro. Durante todo o processo é garantida ampla defesa à enfermeira", informou o Conselho.

A reportagem tentou ouvir Nathanna, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria. Nas redes sociais, a enfermeira se defendeu das acusações e disse que em nenhum momento debochou da vacina.

"Estou com a consciência limpa, não cometi crime algum. Em nenhum momento do vídeo fiz campanha contra a vacina. Apenas exerci meu direito como cidadã de expressar minha opinião, a famosa liberdade de expressão. Em nenhum momento eu debochei ou zombei dos mais de 200 mil óbitos que o Brasil teve", disse.

A pandemia no Espírito Santo

Nas últimas 24 horas o Espírito Santo registrou mais 48 mortes em decorrência do novo coronavírus. Ao todo, o estado soma 5.716 óbitos por causa da doença. Desde o início da pandemia, 287.205 capixabas foram diagnosticados com o vírus. A última atualização divulgada pela Prefeitura de Vitória mostrou que na capital, 3.551 pessoas foram vacinadas.

Cotidiano