PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Henry Borel ganha homenagem em outdoors no Dia das Crianças

Os outdoors em homenagem ao menino Henry neste Dia das Crianças foram instalados na Zona Oeste do Rio de Janeiro - Reprodução/Redes Sociais
Os outdoors em homenagem ao menino Henry neste Dia das Crianças foram instalados na Zona Oeste do Rio de Janeiro Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Colaboração para o UOL

13/10/2021 11h35Atualizada em 13/10/2021 13h12

O menino Henry Borel, morto aos 4 anos de idade em março, no Rio de Janeiro, foi homenageado neste Dia das Crianças com a instalação de dois outdoors no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. Segundo Ailton Barros, advogado que representa Leniel Borel, a iniciativa veio de um grupo de empresários de amigos da região.

O advogado ainda informou ao UOL que Leniel foi consultado para a realização da homenagem, autorizando-a. Os outdoors mostram uma foto do menino com as mãos e o rosto sujos de tinta azul e verde. A mensagem nos painéis instalados na Avenida das Américas e na Avenida Guiomar Novaes diz: "Dia das Crianças: o melhor presente é a proteção".

Em um post publicado em seu perfil no Instagram, o engenheiro lembrou aos seus seguidores que este foi o primeiro Dia das Crianças sem a presença de Henry. "Fico apenas com as lembranças da criança mais incrível que meu menininho é".

"Que a justiça seja feita pelo meu Henry e por todas as crianças que não estão mais conosco por causa de alguma violência. Se uma criança sofre maus tratos de quem deveria proteger, é responsabilidade também de quem está ao redor denunciar. Violência contra criança é covardia, é crime", escreveu Leniel.

Nos stories, ele publicou uma ilustração da criança, produzida pelo artista plástico Rique Ricco. Na imagem, Henry aparece sorridente, abraçando um ursinho de pelúcia e cercado por brinquedos.

Ilustração de Rique Ricco mostra Henry sorrindo e abraçando um urso de pelúcia - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Ilustração postada pelo pai nos stories mostra Henry sorrindo e abraçando um urso de pelúcia
Imagem: Reprodução/Instagram

Na quarta-feira (6), o engenheiro esteve presente à primeira audiência de instrução do julgamento sobre a morte do filho, onde prestou depoimento.

Ele afirmou que o filho vinha se recusando a voltar para o apartamento da mãe, a professora Monique Medeiros da Costa e Silva, e o padrasto, o ex-vereador Jairo Santos Júnior - o Doutor Jairinho. Ambos são réus pelo homicídio triplamente qualificado do menino.

Leniel Borel também disse em audiência que tem sido ameaçado de forma velada desde a morte do filho em março. Ele atribuiu a intimidação ao ex-vereador Dr. Jairinho. A defesa do réu não se manifestou sobre a acusação.

Em entrevista ao UOL News, a advogada de Leniel Borel, Samya Massari Lima, afirmou que o que se pretende é obter "justiça" e descobrir a "verdade" sobre o que aconteceu na noite em que Henry Borel foi morto no apartamento em que morava com a mãe e o padrasto na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que mencionávamos anteriormente, a homenagem não foi iniciativa do pai de Henry Borel, mas sim de um grupo de empresários. O texto foi alterado.