PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Inverno começa com calor em SP, mas terá frio e chance de neve no Sul

Chegada do inverno não impede calor de dar as caras em São Paulo - BRUNO ESCOLASTICO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO (arquivo)
Chegada do inverno não impede calor de dar as caras em São Paulo Imagem: BRUNO ESCOLASTICO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO (arquivo)

Do UOL, em São Paulo

20/06/2022 15h02Atualizada em 21/06/2022 09h28

Apesar do inverno começar nesta terça-feira, oficialmente às 6h14, o calor ainda dá as caras nas capitais brasileiras. Em São Paulo, as máximas não ficam abaixo dos 26ºC até sexta-feira (24). Essa tendência é acompanhada pelas outras capitais da região Sudeste e pelo Nordeste, que também terão calor. Já a região Sul terá temperaturas baixas. Na região Norte, boa parte das capitais não terá máximas abaixo dos 30ºC, segundo o Climatempo.

Na capital paulista, não há previsão de chuva para essa semana. De hoje a sexta-feira a mínima fica em 15ºC e não passa dos 27ºC. Em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Vitória as temperaturas ficam iguais às de São Paulo, também sem chuva.

Veja a previsão do tempo na sua cidade

Mesmo assim, as temperaturas vão cair na nova estação, há chance de neve no Sul nos próximos meses e o tempo seco vai predominar nas regiões nesse inverno, que dura até setembro, confira:

O inverno

O inverno é marcado por um período menos chuvoso no Sudeste, Centro-Oeste e em parte do Norte e Nordeste do país. Já os maiores volumes de chuva ficam sobre o noroeste do Norte, leste do Nordeste e parte do Sul.

Além disso, há menor incidência de radiação solar, maiores incursões de massas de ar frio, com origem no sul do continente, e queda brusca na temperatura, resultando em temperaturas médias inferiores a 22ºC sobre o leste do Sul e Sudeste do Brasil - ainda que nesta última região a temperatura deva ficar um pouco acima da média para a estação.

Essa diminuição nos termômetros pode ocasionar geadas no Sul, Sudeste e no estado de Mato Grosso do Sul, neve nas áreas serranas e planaltos do Sul e friagem em Mato Grosso, Rondônia, Acre e sul do Amazonas.

A formação de nevoeiros ou névoa úmida no Sul, Sudeste e Centro-Oeste, com redução de visibilidade, também são comuns durante a estação devido às incursões térmicas no período da manhã.

A frequência de queimadas e incêndios florestais também aumenta nessa época do ano por causa da diminuição da umidade relativa do ar.

Chuvas abaixo da média no inverno na região Sudeste e Sul

Segundo boletim do Inmet, a previsão para o inverno na região Sudeste e Sul é de que as chuvas devem permanecer próximas ou ligeiramente abaixo da média, especialmente no norte de Minas Gerais e no oeste dos três estados do Sul. Chuvas próximas ao litoral da região Sudeste não são descartadas, devido à passagem de frentes frias. As poucas chuvas no Sul se dão por consequência dos impactos do fenômeno La Niña.

Mesmo assim, o Climatempo aponta que, com exceção de Curitiba, haverá chuvas diárias na região Sul até sexta-feira.
Em relação às temperaturas, elas ficam acima da média em grande parte da região Sudeste. Mas, assim como no caso das chuvas, há chance de queda na temperatura devido à entrada de massas de ar frio, podendo provocar geadas em regiões elevadas.

Já na região Sul acontece o contrário, pois as temperaturas ficarão próximas e abaixo da média devido à incursão de massas de ar polar, principalmente em julho e agosto. Há chance de geadas em alguns pontos da região, principalmente nos lugares de maior altitude. O norte do Paraná deverá ter temperaturas acima da média.

Chuvas acima da média na região Norte e Nordeste

A previsão do Inmet indica probabilidade de chuvas acima da média nas regiões, principalmente na parte norte da região Norte e no litoral nordestino. A exceção fica em sul do Pará e do Tocantins, no oeste da Bahia e no sul do Piauí e do Maranhão, onde as chuvas poderão ficar apenas próximas da média.

Em grande parte da região Norte a temperatura deverá ficar acima da média. O Inmet chama a atenção para as queimadas no sul da Amazônia, muito comuns de julho a setembro, por causa da alta temperatura e baixa umidade relativa do ar. O órgão também aponta a chance de friagens no local, devido à passagem de massas de ar frio.

Já no Nordeste, o Inmet aponta que a previsão é de que as temperaturas fiquem próximas e acima da média em grande parte da região. Para essa semana, haverá chuvas diárias em toda a região, com exceção de Teresina que não terá chuva amanhã e nem quinta-feira (23), segundo o Climatempo.

Temperaturas acima da média no Centro-Oeste

Segundo o boletim do Inmet, o período seco na região já começou e a tendência é a diminuição da umidade relativa do ar nos próximos meses, com valores diários que ficam abaixo de 30% e picos mínimos abaixo dos 20%. Com isso, o inverno pode trazer chuvas abaixo da média em grande parte da região, exceto no sudoeste do Mato Grosso do Sul e noroeste do Mato Grosso, que terão chuvas um pouco acima da média.

Com a permanência das massas de ar seco e quente, as temperaturas ficarão acima da média na região. Isso vai acontecer principalmente entre agosto e setembro, o que também favorece a ocorrência de queimadas e incêndios florestais. A exceção dessas temperaturas acima da média fica em leste do Mato Grosso do Sul e sul do Mato Grosso, por causa da passagem de massas de ar frio.

Cotidiano