Conteúdo publicado há 3 meses

Padre Júlio diz que 'verdade' será esclarecida em apuração da Arquidiocese

Após a Arquidiocese de São Paulo anunciar que tomou conhecimento de um "suposto novo fato de abuso sexual", o padre Júlio Lancellotti afirmou que a denúncia é falsa e que a apuração vai esclarecer a "verdade dos fatos".

O que aconteceu

O padre argumentou que a nova acusação e as anteriores são "inverídicas". Sem detalhar a nova denúncia, a Arquidiocese informou, nesta segunda-feira (5), que abriu uma nova investigação contra Lancellotti. "Um suposto novo abuso sexual envolvendo o referido sacerdote requer uma nova investigação da parte da Arquidiocese para a busca da verdade", diz a nota.

O pároco destacou ainda que acusações são parte de uma rede de desinformação com interesses políticos. "As acusações estão imbricadas em uma rede de desinformação, que mascara eventuais interesses de setores do poder político e econômico em ceifar aquilo que é o sentido do meu sacerdócio: a luta pelos desamparados e pelo povo de rua", escreveu Lancellotti, em nota enviada ao UOL.

Recebo, com serenidade e paz de espírito, a nota da arquidiocese de São Paulo, publicada na presente data, informando que apura as acusações lançadas nos últimos dias. Esclareço que as imputações surgidas recentemente, assim como aquelas que sobreviveram no passado, são completamente falsas, inverídicas e tenho plena fé que as apurações conduzidas pela Arquidiocese esclarecerão a verdade dos fatos.
Padre Júlio Lancellotti

Arquidiocese diz que não arquivou investigação sobre vídeo

A entidade esclareceu que não arquivou a investigação que envolvia um suposto vídeo do padre. No início de janeiro, o material havia sido entregue ao presidente da Câmara Municipal de São Paulo, Milton Leite (União Brasil), pelo vereador Rubinho Nunes, do mesmo partido. Nunes é o autor do requerimento de comissão parlamentar de inquérito que pretende investigar o padre Lancellotti e organizações sociais que apoiam pessoas em situação de rua no centro de São Paulo.

A Arquidiocese ressaltou que houve interpretação equivocada da opinião pública. Diferentemente do que foi publicado no dia 23 de janeiro, no site da entidade, a nota veiculada hoje diz que a denúncia ainda é investigada. "Diante das interpretações equivocadas e amplamente divulgadas pela opinião pública, a respeito da denúncia contra o padre Júlio Lancellotti, esclarecemos que não houve e não há arquivamento dessa atual denúncia".

Ao esclarecer o caso, a Arquidiocese pontua que o arquivamento citado na nota anterior foi em 2020, após investigação liderada pela Cúria Metropolitana de São Paulo. "A recente divulgação de laudos periciais com resultados contraditórios e a notícias de um suposto novo abuso sexual envolvendo o referido sacerdote requerem uma nova investigação da parte da Arquidiocese para a busca da verdade", diz o texto.

O material contém uma suposta videochamada entre um homem que alegaram ser o padre e um adolescente. Em 2020, o conteúdo passou por procedimento investigativo do Ministério Público de São Paulo, que concluiu não existir materialidade na denúncia e arquivou o inquérito. De acordo com o advogado de Lancellotti, Luiz Eduardo Greenhalgh, trata-se de uma montagem, um vídeo fake (falso).

Continua após a publicidade

A arquidiocese segue atenta aos ulteriores elementos sobre os fatos denunciados e toda investigação séria, fazendo o que lhe compete, conforme a norma da Igreja e investigando o caso na área de sua competência, distante de interesses ideológicos e políticos, com serenidade e objetividade.
Arquidiocese de São Paulo

Deixe seu comentário

Só para assinantes