PUBLICIDADE
Topo

Justiça Eleitoral e agências de checagem vão conferir fake news na eleição

Funcionários do TRE do Distrito Federal realizam teste e lacração de urnas eletrônicas  - Pedro Ladeira/Folhapress
Funcionários do TRE do Distrito Federal realizam teste e lacração de urnas eletrônicas Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Do UOL, em Brasília

01/10/2020 13h38Atualizada em 01/10/2020 13h38

Uma parceria entre o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e nove agências de checagem vai atuar para analisar e desmentir fake news divulgadas durante o processo eleitoral. A parceria foi formalizada hoje, em evento virtual com a participação do presidente do TSE, Luís Roberto Barroso.

As notícias checadas a partir desse grupo serão publicadas na página "Fato ou Boato", no site da Justiça Eleitoral (www.justicaeleitoral.jus.br). O acesso ao site durante as eleições não consumirá o pacote de dados dos usuários.

Participam do projeto de checagem o UOL Confere, projeto do UOL, AFP, Agência Lupa, Aos Fatos, Boatos.org, Comprova, E-Farsas, Estadão Verifica e Fato ou Fake.

O objetivo é que as agências de checagem estejam em contato com órgãos da Justiça Eleitoral para identificar notícias falsas sobre as eleições e encontrar, da forma mais ágil possível, respostas verdadeiras e precisas.

Na cerimônia de hoje, o ministro Luís Roberto Barroso ressaltou a importância do combate à desinformação para a vitalidade da democracia.

"A democracia depende da livre circulação de ideias e opiniões. Se a democracia for capturada pelos que divulgam mentira, divulgam ódio, ela não terá como sobreviver", afirmou o presidente do TSE. "Estaremos enfrentando a desinformação também com a imprensa profissional e as agências checadoras de notícias."