PUBLICIDADE
Topo

Benedita diz que aliança do PT com Sérgio Cabral rendeu benefícios ao povo

Luana Massuella

Colaboração para o UOL, em São Paulo

04/11/2020 15h48

Benedita da Silva, candidata do PT à Prefeitura do Rio, afirmou não se arrepender da aliança de seu partido com os governos de Sérgio Cabral (MDB). Para ela, que comandou a Secretaria de Ação Social e Direitos Humanos no 1º mandato de Cabral, a aliança permitiu que o estado fosse beneficiado por programas do governo Lula.

"Essa aliança foi importante para o estado e para a cidade do Rio. Como ninguém governa sozinho, é lógico que nós tivemos aqui o Minha Casa Minha Vida, Bolsa Família, obras do PAC, abrimos Clínicas da Família com recursos do governo federal. É desse projeto que nós fizemos parte e não tem que se arrepender de fazer e trazer benefícios para a população", disse a candidata em sabatina conduzida por Silvia Ribeiro, editora do UOL, e Catia Seabra, repórter da Folha de S. Paulo.

Questionada sobre as condenações de Sérgio Cabral por corrupção —que já ultrapassam 300 anos de prisão—, a ex-governadora do Rio procurou distanciar a política de alianças do PT dos crimes de Cabral. E defendeu a manutenção de alianças estratégias.

"Quando nós fizemos aliança, nós fazemos aliança partidária, nós não fazemos aliança com pessoas. E se algum desvio de conduta possa ter, em qualquer que seja o gestor ou gestora, é de responsabilidade da pessoa. Nós não vamos deixar de fazer política de aliança, partidárias, estratégica, para o Brasil. Como a gente vai criar uma frente para o Brasil? Como a gente vai sair desse caos do Brasil?", disse a petista.

Para a candidata, não é por meio de "um Messias ou pura e simplesmente de um único partido político que se consegue fazer as mudanças e as inclusões necessárias".

Segundo Benedita, "Lula foi o melhor presidente do Brasil, que não olhou para sigla partidária de nenhum estado, de nenhum município".

'Povo está com saudade do governo Lula'

Questionada se o PT errou em gestões anteriores, a candidata afirmou que "só erra quem faz".

"Quem não faz, não erra. E depende também de quem julga o erro. Então, é importante dizer que não existe uma perfeição. Mas que existe um desejo, uma vontade", disse. Ela ainda falou sobre 'injustiças' anteriores com o partido, e que a população está com 'saudade do governo petista'. "Minha gente, nós vamos ganhar essas eleições, e não só aqui na cidade do Rio de Janeiro, não. Vamos ganhar pelo Brasil afora, o povo está com saudade de governo de Lula", disse.

Benedita afirmou que sua candidatura representa "o que tem de mais novo no PT".

"É a melhor proposta do PT, que é o fortalecimento da esquerda, uma política de aliança. (...) O Partido dos Trabalhadores, que já governou esse país, precisa também governar uma cidade do Rio de Janeiro, e é por isso que estou candidata, e acredito que teremos o apoio da população", disse.

Pobreza no Rio hoje "não tem nada a ver com o PT"

Benedita defendeu as gestões do PT, dizendo que "foi o PT que cuidou de tirar [as pessoas] da miséria, que cuidou da saúde, cuidou da educação, de cotas. Eu poderia, aqui, ter um desfile de ações as quais a população da cidade do Rio de Janeiro está perdendo por conta do seu gestor, e não por conta do Partido do Trabalhadores", falou.

Questionada sobre qual a responsabilidade do PT na persistência da pobreza no Rio atualmente, a candidata atribuiu o problema ao governo atual e ao governo Michel Temer (MDB) e afirmou que isso "não tem nada a ver com o PT".

"Quem é que está fazendo o maior retrocesso naquilo que o povo brasileiro conquistou, que o estado conquistou, que a cidade conquistou? Não é governo do PT, não é [governo] de Lula, não é de Dilma", disse. "Quem é que está governando essa cidade, minha gente? Não tem nada a ver com o PT", falou.

A cidade do Rio de Janeiro é governada, hoje, pelo prefeito Marcelo Crivella (Republicanos), candidato à reeleição, apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).