PUBLICIDADE
Topo

Ibope: Manuela D'Ávila amplia liderança em Porto Alegre com 40%; Melo é 2º

Manuela D"Avila (PCdoB) deve ir ao segundo turno, apontam as pesquisas - Danilo Christidis/Divulgação
Manuela D'Avila (PCdoB) deve ir ao segundo turno, apontam as pesquisas Imagem: Danilo Christidis/Divulgação

Do UOL, em São Paulo

14/11/2020 19h44Atualizada em 14/11/2020 21h05

A candidata Manuela D'Ávila (PCdoB) ampliou sua liderança nas intenções de votos válidos para a Prefeitura de Porto Alegre segundo pesquisa Ibope divulgada hoje, véspera das eleições municipais. Manuela tem 40% e é seguida por Sebastião Melo (MDB), com 25%. O atual prefeito, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), é o terceiro, com 17%.

O Ibope também fez três projeções de segundo turno considerando os três primeiros colocados na última pesquisa, de 29 de outubro. Numa disputa contra Melo, Manuela tem 42% das intenções de voto, e o rival, 40%, empatados tecnicamente. Já contra Marchezan, a candidata do PcdoB tem 44%, e o tucano, 33%. Num possível confronto entre o segundo e terceiro colocados, Melo fica com 44%, contra 30% de Marchezan.

Até esta semana, a disputa em Porto Alegre vinha demonstrando três candidatos empatados tecnicamente na segunda colocação. José Fortunati (PTB), porém, renunciou após o TRE-RS (Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul) indeferir a candidatura de André Cecchini (Patriota) ao cargo de vice-prefeito na sua chapa. Com a decisão, o nome do ex-candidato continuará na urna eletrônica, mas os eventuais votos deverão ser anulados.

O percentual de votos válidos corresponde à proporção de votos do candidato sobre o total, excluídos os votos brancos, nulos e indecisos. Para ser eleito em primeiro turno, um candidato deve alcançar 50% dos votos válidos mais um — a maioria simples. Já a margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Porcentagem Ibope de votos válidos:

Entre os votos totais, que consideram também brancos, nulos e indecisos, Manuela tem 35% das intenções, enquanto Melo fica em segundo, com 22%, e Marchezan em terceiro, com 15%. Assim, o levantamento repete os três primeiros colocados em votos válidos.

Porcentagem Ibope de votos totais:

  • Manuela D'Ávila (PCdoB): 35%
  • Sebastião Melo (MDB): 22%
  • Nelson Marchezan Júnior (PSDB): 15%
  • Juliana Brizola (PDT): 6%
  • Fernanda Melchionna (PSOL): 3%
  • Valter Nagelstein (PSD): 2%
  • João Derly (Republicanos): 2%
  • Gustavo Paim (PP): 1%
  • Rodrigo Maroni (PROS): 1%
  • Branco e nulos: 7%
  • Não sabem ou não responderam: 5%

Simulações de 2º turno

Manuela (PCdoB) x Melo (MDB)

  • Manuela: 42%
  • Melo: 40%
  • Branco e nulos: 11%
  • Não sabem ou não responderam: 7%

Manuela (PCdoB) x Marchezan (PSDB)

  • Manuela: 44%
  • Marchezan: 33%
  • Brancos e nulos: 15%
  • Não sabem ou não responderam: 8%

Marchezan (PSDB) x Melo (MDB)

  • Melo: 44%
  • Marchezan: 30%
  • Brancos e nulos: 17%
  • Não sabem ou não responderam: 8%

Rejeição

Apesar de liderar as intenções de voto, Manuela tem a maior rejeição entre todos os candidatos, com 38%. O terceiro colocado das intenções de voto, Marchezan, tem índice próximo, de 36%. Entre os primeiros colocados, Melo é o que tem a menor rejeição, com 13%.

Apenas 3% dos entrevistados disseram que poderiam votar em qualquer um dos candidatos. Os que não souberam ou preferiram não opinar somaram 5%.

A soma das porcentagens é maior que 100% porque os eleitores podiam apontar mais de um candidato na resposta.

Neste quesito, os índices de cada candidato foram:

  • Manuela D'Ávila (PCdoB): 38%
  • Nelson Marchezan Júnior (PSDB): 36%
  • Rodrigo Maroni (PROS): 19%
  • Valter Nagelstein (PSD): 15%
  • Gustavo Paim (PP): 13%
  • Julio Flores (PSTU): 13%
  • Sebastião Melo (MDB): 13%
  • João Derly (Republicanos): 12%
  • Juliana Brizola (PDT): 10%
  • Fernanda Melchionna (PSOL): 9%
  • Luiz Delvair (PCO): 8%
  • Montserrat Martins (PV): 7%

Para este levantamento, o Ibope conversou com 805 pessoas entre os dias 12 e 14 de novembro. Encomendada pela RBS TV, a pesquisa foi registrada no TRE-RS (Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul) sob o protocolo RS-02998/2020.

O levantamento tem nível de confiança estimado em 95%, o que significa dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerada a margem de erro.