PUBLICIDADE
Topo

Só 4 candidatos a prefeito citados por Bolsonaro saem bem das urnas

Bolsonaro transformou live em "horário eleitoral gratuito", como ele mesmo definiu                              - Reprodução
Bolsonaro transformou live em "horário eleitoral gratuito", como ele mesmo definiu Imagem: Reprodução

Gabriela Sá Pessoa

Do UOL, em São Paulo

16/11/2020 02h26

Após uma semana em que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) dedicou-se a lives diárias que ele mesmo apelidou de "horário eleitoral gratuito JB" para declarar apoio a candidatos, só quatro dos 13 postulantes a prefeito divulgados por ele tiveram sucesso no primeiro turno. Além disso, o Ministério Público Federal em 13 estados vai apurar se o presidente cometeu propaganda eleitoral gratuita, e há risco de ele se tornar inelegível.

Neste domingo (15), nas capitais, só Marcelo Crivella (Republicanos), no Rio, e Capitão Wagner (PROS), em Fortaleza, continuam na disputa no segundo turno. Os outros são o ex-senador Mão Santa (DEM), eleito em Parnaíba (PI), e Gustavo Nunes (PSL), eleito em Ipatinga (MG).

Em São Paulo, Celso Russomanno (Republicanos) começou na liderança, despencou e terminou em quarto lugar. O marqueteiro da campanha, Elsinho Mouco, atribuiu a derrota do candidato à lealdade a Jair Bolsonaro.

post - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Publicação de Jair Bolsonaro com 'cola' de candidatos aliados
Imagem: Reprodução/Facebook

No domingo (15), o presidente apagou uma publicação que tinha feito na véspera em seu Facebook divulgando números de sete candidatos a prefeito e cinco a vereador. Ele também endossou Coronel Fernanda (Patriota) para o Senado em Mato Grosso. O estado realizou eleições suplementares para preencher a vaga de Selma Arruda, cassada sob acusação de abuso de poder econômico e caixa dois. O apoio presidencial não deu certo e Carlos Fávaro (PSD) se elegeu.

24 candidatos a vereador

Bolsonaro divulgou 24 candidatos a vereador na última semana. Entre eles, o filho Carlos Bolsonaro foi reeleito para Câmara carioca com 71 mil votos, um terço a menos do que tinha conquistado em 2016.

Da publicação com a "cola eleitoral" de vereadores que apagou do Facebook, apenas Nikolas Ferreira (PRTB) se elegeu em Belo Horizonte, com 29.388 votos. Wal do Açaí, funcionária de Bolsonaro apontada como fantasma por reportagem da Folha, tentou conquistar uma cadeira no Legislativo de Angra dos Reis e recebeu apenas 266 votos.

Eduardo Bolsonaro acompanhou Sonaira Fernandes (Republicanos) em uma "live" do Alvorada na última semana. A candidata a vereadora recebeu 17.868 votos na capital paulista, onde a apuração e o cálculo do quociente partidário não tinham sido concluídos até a conclusão deste texto. Outro nome do clã, Clau de Luca (PRTB), teve 5.788 votos.

O presidente chegou ao início da campanha dizendo que não apoiaria ninguém no primeiro turno. Não entrou de cabeça nas campanhas, mas transformou suas "lives" em palanque eleitoral. Nas últimas semanas, o presidente pediu votos para 59 candidatos. Na última semana, fez transmissões diárias de segunda (9) até quinta-feira (12) — só nesse período, citou 55 nomes. Na sexta-feira (13), ele cancelou o que apelidou seu "horário eleitoral gratuito", dizendo que a partir daquela data a legislação eleitoral não era mais clara.

Após o resultado na noite de domingo, Bolsonaro minimizou sua atuação na campanha, tentou se desvincular das derrotas de seus candidatos e disse que as urnas deram uma derrota histórica aos partidos de esquerda.

As transmissões no Alvorada vão ser investigadas pelo Ministério Público Federal em 13 estados. Os procuradores apuram se houve propaganda eleitoral ilegal. No limite, em caso de condenação, Bolsonaro pode ficar Bolsonaro inelegível por possível infração à Lei Eleitoral. A legislação só permite usar a residência oficial da Presidência e serviços de servidores públicos em favor de sua própria eleição. Em uma das "lives", ele chamou o Alvorada de "minha casa": "Uso essa casa como se fosse minha".

Desde que rompeu com o PSL, no final de 2019, o bolsonarismo não encontrou um único partido para chamar de seu. O presidente não conseguiu fundar sua própria sigla, a Aliança pelo Brasil, e nas "lives" acabou pulverizando o apoio entre 14 agremiações.

Nos santinhos que a Presidência imprimiu em papel sulfite para que Bolsonaro mostrasse às câmeras havia indicações de aliados políticos e assessores, além de candidatos "do coração", como Deilson Bolsonaro (Republicanos). Deilson recebeu 1.108 votos e não se elegeu vereador em Boa Vista pelo Republicanos.

"Esse é peixe de quem?", indagava o presidente a seus auxiliares, querendo saber quem era o padrinho do candidato que ele anunciaria a seguir. Emplacaram nomes o assessor especial Filipe G. Martins; os deputados federais Filipe Barros (PSL-PR), Hélio Lopes (PSL-RJ) e Major Vitor Hugo (PSL-GO); a ministra Damares Alves e o filho 03, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Bruno Engler, candidato a prefeito de Belo Horizonte pelo PRTB do vice-presidente Hamilton Mourão; Coronel Menezes, que concorreu em Manaus pelo Patriota; e Delegada Patrícia, candidata do Podemos em Recife; foram pessoalmente vender seus peixes no Palácio do Alvorada. Terminaram a eleição com 9%, 11% e 14% dos votos, respectivamente.


Desempenho dos candidatos citados por Bolsonaro

São Paulo
Celso Russomanno (Republicanos)
Desempenho: 10% dos votos, ficou em quarto lugar

Santos
Ivan Sartori (PSD)
Desempenho: 18,33%, ficou em segundo lugar

Rio de Janeiro
Marcelo Crivella (Republicanos)
Desempenho: 21,8%; vai ao segundo turno contra Eduardo Paes (DEM)

Cabo Frio (RJ)

Dr. Serginho (Republicanos)

Desempenho: 33,77%, ficou em segundo lugar

Belo Horizonte
Bruno Engler (PRTB)
Desempenho: 9,95%, ficou em segundo lugar

Ipatinga (MG)
Gustavo Nunes (PSL)
Desempenho: eleito com 40,9% dos votos

Fortaleza
Capitão Wagner (PROS)
Desempenho: 33,32%, vai ao segundo turno contra Sarto (PDT)

Sobral (CE)
Oscar Rodrigues (MDB)
Desempenho: 40,77%, ficou em segundo lugar

Manaus
Coronel Menezes (Patriota)
Desempenho: 11,32%, ficou em quinto lugar

Criciúma (SC)
Julia Zanatta (PL)
Desempenho: 7,03%, ficou em terceiro lugar

Parnaíba (PI)
Mão Santa (DEM)
Desempenho: eleito com 68,34%

Recife
Delegada Patrícia (Podemos)
Desempenho: 14,06%, ficou em quarto lugar

Cabedelo (PB)
Morgana (MDB)
Desempenho: 12,20%, ficou em segundo lugar