PUBLICIDADE
Topo

Únicos reeleitos da história de São Paulo foram vices no primeiro mandato

Guilherme Botacini

Colaboração para o UOL, em São Paulo

30/11/2020 04h00

A vitória de Bruno Covas (PSDB) sobre Guilherme Boulos (PSOL), neste domingo, confirma que, ao menos na capital paulista, os vices acabam com mais tempo à frente do cargo do que os titulares.

Desde 2000, quando é possível se lançar à reeleição para o Poder Executivo, São Paulo só teve mais uma reeleição além de Covas: Gilberto Kassab em 2008 (à época do DEM e hoje no PSD), que havia sido vice de José Serra (PSDB) em 2004.

O roteiro de Covas e Kassab foi idêntico. Ambos assumiram a cadeira quando o titular deixou o Executivo municipal para chefiar o estadual. Também ambos, no ano de reeleição, tiveram mais de 18% dos votos totais à frente que o adversário.

O vice de Bruno Covas, Ricardo Nunes (MDB), foi um dos pontos fracos da campanha do prefeito reeleito, especialmente no segundo turno.

Há indícios de que Nunes esteja envolvido na máfia das creches em São Paulo, e sua esposa registrou boletim de ocorrência contra ele em 2011 por ameaças, apesar de hoje negar as agressões.

Debate entre Marta Suplicy e Gilberto Kassab em 2008 na disputa pela prefeitura de São Paulo - Clayton de Souza/AE - Clayton de Souza/AE
Debate entre Marta Suplicy e Gilberto Kassab em 2008 na disputa pela prefeitura de São Paulo
Imagem: Clayton de Souza/AE

Nunes se defendeu das acusações em discurso no plenário da Câmara Municipal, onde é vereador, e mentiu que não foi convidado para sabatina do UOL em parceria com a Folha de S.Paulo. Após ser convidado novamente, ele voltou a mentir sobre não ter sido convidado.

Todos os outros prefeitos paulistanos nesse período que eram cabeça de chapa no primeiro mandato e tentaram a reeleição, perderam: Marta Suplicy, em 2004, e Fernando Haddad, em 2016.

Mesmo quem tentou um novo mandato após um intervalo entre pleitos saiu perdendo. Serra, quando tentou novamente em 2012, e Maluf, quando tentou em 2000, depois de ter sido prefeito na década de 1990, não foram aprovados pelos eleitores.

Diferença de votos entre os candidatos

  • 2000 (Marta venceu Maluf) - 944.392 votos - 17,01%
  • 2004 (Serra venceu Marta) - 590.027 votos - 9,72%
  • 2008 (Kassab venceu Marta) - 1.338.031 votos - 21,43%
  • 2012 (Haddad venceu Serra) - 678.952 votos - 11,14%
  • 2020 (Covas venceu Boulos) - 1.001.012 votos - 18,76%

Das seis eleições municipais desde 2000, apenas a de 2016 foi decidida no primeiro turno, quando João Doria (PSDB) venceu Fernando Haddad (PT), então prefeito da cidade.

A maior diferença entre adversários aconteceu em 2008, quando Gilberto Kassab, à época ainda no DEM, venceu Marta Suplicy, candidata pelo PT. Foram cerca de 1,3 milhão de votos a mais para Kassab, uma diferença que representou 21% dos votos válidos.

Eleições 2020: Veja fotos de votação no segundo turno pelo Brasil