PUBLICIDADE
Topo

Filho de 1 ano de bombeiro morto em incêndios na Austrália recebe medalha

Foto divulgada pelo Serviço Rural de Bombeiros da Nova Gales do Sul mostra comissário fixando uma medalha no bebê Harvey Keaton, que usava chupetas - AFP PHOTO / New South Wales Rural Fire Service
Foto divulgada pelo Serviço Rural de Bombeiros da Nova Gales do Sul mostra comissário fixando uma medalha no bebê Harvey Keaton, que usava chupetas Imagem: AFP PHOTO / New South Wales Rural Fire Service

Do UOL, em São Paulo

02/01/2020 15h47

Usando uma chupeta, um bebê de apenas 1 ano e 9 meses chamado Harvey recebeu uma medalha para homenagear seu pai, o bombeiro Geoffrey Keaton, morto durante os incêndios que atingem a Austrália.

Geoffrey é um dos voluntários que perderam a vida enquanto combatiam o fogo que se alastrou pelo país nos últimos dias. Ele tinha 32 anos e morreu no dia 19 de dezembro, após o caminhão onde estava atingir uma árvore em chamas.

A foto do momento da homenagem ao bombeiro aconteceu durante seu funeral e foi divulgada pelo Serviço Rural de Bombeiros da Nova Gales do Sul.

Na imagem, o comissário Shane Fitzsimmons aparece colocando a medalha no filho do voluntário - que recebeu o mérito por "Bravura" e "Serviços Extraordinários".

Dezenas de bombeiros, segundo o site Sky News, formaram uma espécie de guarda de honra assim que o carro funerário do pai de Harvey entrou em um cemitério de Sydney.

Velório do bombeiro Geoffrey Keaton, que morreu após ter seu veículo atingido por uma árvore enquanto combatia incêndios na Austrália - HANDOUT/AFP
Velório do bombeiro Geoffrey Keaton, que morreu após ter seu veículo atingido por uma árvore enquanto combatia incêndios na Austrália
Imagem: HANDOUT/AFP

Situação caótica

Desde a semana passada, milhares de australianos que viajaram no feriado precisaram fugir da aproximação de novos incêndios florestais, que são originários de cidades no litoral leste do país.

De acordo com a Reuters, mais de 200 incêndios estão ativos nos estados de Nova Gales do Sul e Vitória. Nestas duas regiões, oito pessoas morreram desde a última segunda-feira (30) e há outras desaparecidas.

Nos últimos meses, incêndios florestais já devastaram mais de 4 milhões de hectares de terras áridas e mais de mil casas foram destruídas - 381 delas só nesta semana.

Internacional