PUBLICIDADE
Topo

Ataque é tapa na cara dos EUA, diz líder supremo do Irã

Do UOL, em São Paulo

08/01/2020 06h38

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, disse hoje que o Irã deu aos Estados Unidos "um tapa na cara na noite passada". Ele se referiu aos ataques a duas bases militares iraquianas que abrigam tropas americanas.

"O povo do Irã deu uma resposta esmagadora", afirmou Khamenei em discurso televisionado e acompanhado por uma multidão que gritava "Morte à América", segundo reportagem da CNN.

"Ação militar dessa maneira, isso não é suficiente. O que importa é que a presença da América, que é uma fonte de corrupção nesta região, deve chegar ao fim", acrescentou o aiatolá.

'Se você atacar, será atacado'

O aiatolá também alertou os Estados Unidos contra novos ataques: "Se você atacar, será atacado", afirmou. "Eles sabem disso. Eles sabem que, caso se envolvam em um confronto conosco e se envolverem de maneira militar, ficarão presos. Eles podem nos prejudicar, mas se machucarão muitas vezes mais, e percebem isso."

Khamenei disse ainda que "esta região não aceita a presença dos EUA". Ele elogiou o general Qassim Suleimani, assassinado na última sexta-feira (3), chamando-o de "corajoso". Muitos na plateia foram vistos chorando ao longo do discurso.

Ele disse ainda que a morte de Suleimani significa que "uma revolução está viva".

Iraque diz que 22 mísseis foram usados em ataque

Militares iraquianos divulgaram um comunicado na qual confirmaram que 22 mísseis foram usados no ataque a bases aéreas que abrigam tropas dos Estados Unidos e da coalizão no país. A autoria do ataque foi assumida pelo Irã como resposta ao assassinato do general iraniano Suleimani pelos EUA, no dia 3 de janeiro.

De acordo com o comunicado, "um total de 22 mísseis visou as bases da coalizão, com 17 atingindo a base aérea de Al-Asad na província de Anbar, incluindo dois que não detonaram". Outros cinco mísseis atingiram uma base na província de Erbil, no norte do Iraque.

O comunicado ainda acrescenta que não houve vítimas entre as forças de segurança iraquianas nos ataques que ocorreram entre as 1h45 e 2h15 (horário local).

Internacional