PUBLICIDADE
Topo

Floyd disse a policiais que se assustou porque já havia sido baleado antes

George Floyd, morto em ação da polícia nos Estados Unidos - Reprodução
George Floyd, morto em ação da polícia nos Estados Unidos Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

08/07/2020 17h41

A transcrição do que foi dito por George Floyd e pelos policiais acusados de envolvimento em sua morte revela o que o homem disse aos agentes para explicar o susto que levou: ele suplicou e disse que já havia sido baleado em uma situação parecida no passado.

De acordo com o diálogo obtido pelas câmeras que dois policiais — Thomas Lane e J. Alexander Kueng — usavam em seus corpos, Floyd demorou alguns instantes para erguer as mãos e, em seguida, explicou a reação lenta.

"Me desculpem, me desculpem. Meu Deus, cara. Cara, eu já levei um tiro. Eu já levei um tiro do mesmo jeito antes, senhor policial", contou Floyd. O policial Lane perguntou à mulher que estava no carro se ela sabia o motivo da agitação do homem.

"Talvez seja porque ele já levou um tiro antes", disse a mulher. Floyd foi escoltado pelos policiais até o outro lado da rua, onde entregou sua identidade e voltou a dizer que já havia sido baleado no passado: "Eu levei um tiro da última vez, foi igual, cara."

Então, Kueng disse que ele seria detido sob suspeita de ter usado uma nota falsa, o que fez dois policiais lutarem para levá-lo à viatura; posteriormente, isto terminou com Floyd no chão e com o pescoço pressionado pelo joelho do agente Derek Chauvin.

De acordo com a transcrição, um dos policiais chegou a dizer que Floyd morreria de ataque cardíaco se não se levantasse e entrasse no carro. Lane perguntou se deveriam levantar as pernas dele, mas Derek e Kueng mandaram que se calasse.

Floyd começou a dizer que não conseguia respirar, e pedidos de "por favor" intercalaram este aviso do homem negro. "Não consigo respirar. Por favor, senhor, por favor", suplicou a vítima.

O caso ocorreu nos Estados Unidos e motivou protestos contra o racismo no mundo todo.

Internacional