PUBLICIDADE
Topo

Eleições Americanas

Esse conteúdo é antigo

Trump diz que Biden avança 'magicamente' e questiona contagem de votos

O presidente dos EUA, Donald Trump, em comício em Michigan - Carlos Barria/Reuters
O presidente dos EUA, Donald Trump, em comício em Michigan Imagem: Carlos Barria/Reuters

Do UOL, em São Paulo

04/11/2020 12h34Atualizada em 05/11/2020 13h20

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a levantar suspeitas de fraude — sem apresentar provas — sobre a contagem dos votos na disputa presidencial no país.

Em mensagem publicada na manhã de hoje em seu Twitter, Trump classificou como "muito estranha" a forma como seu rival Joe Biden tem avançado e que sua vantagem sobre o democrata começou a desaparecer "magicamente".

"Noite passada eu vinha liderando, em muitos casos de forma sólida, em muitos estados-chave, quase todos governados e controlados pelos democratas. Então, um a um, eles começaram a desaparecer magicamente enquanto cédulas surpresa eram contadas. Muito estranho, e todas as pesquisas erraram completamente e historicamente", disse Trump.

Pouco após a publicação, o Twitter colocou um alerta no tuíte de Trump de que a mensagem contém informações "contestáveis" e pode ter "informações incorretas".

Em outra publicação, o presidente americano questionou a contagem dos votos enviados pelos correios.

"Por que toda vez que começa a contagem dos votos pelos correios eles são tão devastadores no percentual e no poder de destruição?", escreveu Trump.

Em entrevista a jornalistas, o coordenador da campanha de Trump, Bill Stepien, afirmou que "se todas as cédulas legais foram contadas, o presidente [Trump] vencerá".

Apesar das alegações de Trump, não há indícios ou evidências de que os votos pelos correios tenham sido fraudados. As tendências em inúmeros estados mudam de um lado para o outro entre ambos os candidatos à medida em que os votos são contados.

Trump diz que venceu eleição

Na madrugada de hoje, Trump fez um pronunciamento na Casa Branca e se autodeclarou vencedor das eleições, embora não houvesse confirmação. Ele disse também que irá recorrer à Suprema Corte para interromper a contagem de votos.

"Não queremos que encontrem votos às 4 horas da manhã para acrescentar à lista", afirmou, referindo-se aos votos enviados pelo correio.

A campanha de Joe Biden reagiu e afirmou que as declarações do republicano são "ultrajantes e sem precedentes".

Os Estados Unidos não têm um órgão oficial que divulga, em tempo real, os resultados das urnas, como o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) no Brasil. Por isso, as agências de notícias e veículos de comunicação como AFP, AP e Fox fazem extrapolações estatísticas e apontam os vencedores por estado. A AFP chegou a considerar definida a apuração do Arizona — e Joe Biden somava mais 11 votos até a manhã desta quinta-feira (5). A contagem de votos continua no estado.

Eleições Americanas