PUBLICIDADE
Topo

Eleições Americanas

Emocionado, Biden diz que 'são tempos sombrios, mas há luz'

19.jan.2021 - Presidente eleito Joe Biden e Jill Biden participam de evento antes de cerimônia de posse em Washington - JIM WATSON/AFP
19.jan.2021 - Presidente eleito Joe Biden e Jill Biden participam de evento antes de cerimônia de posse em Washington Imagem: JIM WATSON/AFP

Do UOL, em São Paulo*

19/01/2021 17h04

Em último discurso antes da cerimônia de posse em Washington, o presidente eleito Joe Biden afirmou que os Estados Unidos passam por um tempo sombrio, mas que "há luz". Enxugando as lágrimas, Biden despediu-se do seu estado natal, Delaware, antes de seguir para a capital americana.

Biden, que começou o discurso avisando que é "meio emocional", agradeceu ao público de Delaware, onde ele mora com a mulher Jill Biden—-até que se mudem para a Casa Branca. "Eu sei que estamos em tempos sombrios, mas há luz. Estou realmente honrado de ser o seu próximo presidente".

O presidente eleito participou hoje de uma homenagem da Guarda Nacional ao seu falecido filho Beau, que morreu de câncer em 2015. "É profundamente pessoal que nossa jornada para Washington comece aqui. Só lamento que Beau não possa estar aqui. Desculpem a emoção", disse Biden, fazendo uma pausa em suas palavras enquanto se recompunha. "Mas quando eu morrer, Delaware estará escrita em meu coração".

Durante seu discurso, Biden também mencionou a natureza histórica da eleição e como Kamala Harris, uma mulher negra de descendência sul-asiática, será empossada como vice-presidente 12 anos após Biden assumir o cargo de vice-presidente de Barack Obama, o primeiro presidente negro do país.

"Não me diga que as coisas não podem mudar. Elas podem, e mudam", disse Biden. "Isso é a América. Isso é Delaware."

A cerimônia de posse do democrata Joe Biden e da vice Kamala Harris está marcada para amanhã. Diferentemente dos anos anteriores, o evento não contará com a presença do público por conta da pandemia do novo coronavírus.

Para representar aqueles que não poderão comparecer, porém, o National Mall foi decorado com quase 200 mil bandeiras americanas —o National Mall é o equivalente à região de Brasília onde está localizada a Praça dos Três Poderes.

O local abriga monumentos históricos, como o Memorial Lincoln e o Monumento de Washington, por exemplo, além do Capitólio, onde se reúne o Congresso americano, e a Casa Branca. As bandeiras foram colocadas no passeio que liga o Capitólio ao Memorial.

O comitê de posse Biden informou que as bandeiras representam "um compromisso com um evento inclusivo e seguro de que todo mundo pode participar de casa", segundo o jornal The New York Times.

Às vésperas da cerimônia, a cidade de Washington está sitiada. As medidas de distanciamento e a forte presença militar na capital americana por precaução depois da invasão ao Capitólio, em 6 de janeiro, por apoiadores de Donald Trump tornam a posse do novo presidente tão incomum quanto os tempos atuais.

Mesmo sem a presença do público, políticos republicanos e democratas confirmaram presença na cerimônia de posse de Biden. O vice-presidente Mike Pence participará do evento, assim como os ex-presidentes Barack Obama e Bill Clinton.

O republicano Donald Trump, entretanto, já declarou que não irá à posse —o presidente que está prestes a deixar o cargo não é obrigado a comparecer à posse do sucessor, mas Trump será apenas o quarto presidente da história dos Estados Unidos a fazê-lo, segundo a Folha de S.Paulo. Ele se juntará a John Adams (1801), o filho dele, John Quincy Adams (1829), Andrew Johnson (1869), todos do século 19.

*Com informações da AFP

Eleições Americanas