PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
15 dias

Chinês se desculpa após criar 'brinquedo' que torturava mulheres no passado

Na esquerda o "brinquedo" feito pelo youtuber e à direita uma réplica do instrumento de tortura usado em mulheres - Reprodução
Na esquerda o 'brinquedo' feito pelo youtuber e à direita uma réplica do instrumento de tortura usado em mulheres Imagem: Reprodução

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/01/2021 15h09

Um chinês, conhecido na internet por criar bugigangas, está sendo criticado por parte de seus 10 milhões de seguidores nas redes sociais, após criar um burro de madeira em referência a um instrumento de tortura milenar utilizado em mulheres no passado. Arrependido da criação, Geng Shuai utilizou as redes sociais para se desculpar e afirmou que não sabia qual era o real uso do instrumento e que já o destruiu.

O ex-soldador ficou famoso em 2018 por fazer engenhocas inúteis e publicá-las no Bilibili, uma rede similar ao YouTube. Apelidado de "Edison Inútil", o chinês sugeriu aos espectadores que o burro de madeira criado por ele poderia servir para donos de restaurantes intimidarem clientes que saíssem sem pagar as contas.

O que ele aparentemente não sabia é que o burro de madeira era um instrumento utilizado pela dinastia Song (960-1279) como punição para mulheres que desobedecessem às leis.

Elas eram amarradas nuas ao instrumento, como se estivessem montadas nele, e eram chicoteadas enquanto desfilavam pelas ruas em uma vergonha pública. Durante o trajeto, os torturadores gritavam para anunciar o crime cometido às ruas para intimidar outras cidadãs. O adultério, por exemplo, era um dos delitos que resultavam na punição.

A versão do instrumento feita por Geng, contudo, não tinha as estacas de madeira ou as lâminas de metal contidas no instrumento original para machucar a genitália das mulheres, que certas vezes tinham pedras atadas às pernas para aumentar a agonia.

Entre os seguidores que sabiam da tortura sexual, uma pequena parte comentou que "faltavam as lâminas para deixar o objeto completo", mas a maioria dos espectadores repudiou a criação e denunciou o vídeo até ele ser retirado do ar pela plataforma.

"Deus deu a habilidade para ele, mas se esqueceu de dar-lhe um cérebro", comentou um internauta revoltado com a criação do soldador, conforme divulgado pelo portal South China Morning Post.

A má repercussão do vídeo foi tanta que Geng decidiu usar o Weibo, site equivalente ao Twitter chinês, para se desculpar aos seguidores na quarta-feira (20):

"Eu ofereço minhas mais sinceras desculpas, não importa quais desculpas eu possa ter, se isso [o vídeo] feriu seus sentimentos. Devido à minha falta de compreensão da história fiz um vídeo desrespeitoso com as mulheres. Espero obter o seu perdão."

Não há consenso de qual período da disnatia Song o burro de madeira passou a ser utilizado, mas Dinastias sucessoras a essa seguiram utilizando o método, chegando até a aperfeiçoar a aparência do instrumento com um burro de verdade.

Nunca foram encontrados burros de madeira da antiguidade que tenham se conservado com o passar dos anos.

Internacional