PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

'Criatura bizarra' que assustou moradores na Polônia era só um croissant

Croissant deixado em árvore ao lado de edifício na Polônia assustou moradores - Reprodução/Facebook
Croissant deixado em árvore ao lado de edifício na Polônia assustou moradores Imagem: Reprodução/Facebook

Colaboração para o UOL, em São Paulo

15/04/2021 18h24

Uma moradora da cidade polonesa de Cracóvia ligou para uma equipe de captura de animais preocupada com uma "criatura bizarra" que estava em uma árvore há dois dias, assustando os residentes de um edifício próximo.

Os habitantes temiam que o "bicho" entrasse em suas casas, segundo divulgou no Facebook a KTOZ, a sociedade de bem-estar animal da cidade.

De acordo com o site The Independent, quando a mulher fez a chamada para a organização, a equipe perguntou se o "animal" poderia ser uma ave de rapina, mas ela teria dito que a "criatura" se parecia mais com uma iguana.

Z cyklu "Z pami?tnika inspektora" - relacjonuje inspektor Adam. - Przyjed?cie i go zabierzcie! - w g?osie dzwoni?cej...

Publicado por KTOZ Krakowskie Towarzystwo Opieki nad Zwierz?tami em Terça-feira, 13 de abril de 2021

Por outro lado, a equipe de captura tinha receio de que fosse um animal de estimação abandonado que tivesse morrido de frio ou fome. Um oficial, identificado como Adam, foi quem apresentou essa "possibilidade", relembrando alguns casos anteriores.

"Tivemos um velho [cachorro] Yorkie jogado no quintal à noite, um gato gravemente doente deixado em uma caixa de transporte em um lixão de carros no inverno, ratos e hamsters em uma gaiola jogada no lixo e até mesmo peixes em um balde", recordou o oficial.

A primeira coisa que Adam notou ao se deparar com o "bicho" foi que ele não se movia. "Sua pele marrom brilha ao sol... Estamos olhando mais de perto — o pobre coitado não tem pernas nem cabeça", escreveu o oficial, relembrando a percepção que teve no momento.

Claro, a equipe notou depressa que não se tratava de um animal, mas só de um croissant, um pão de origem francesa. A hipótese é que o quitute tenha sido arremessado por algum vizinho por uma janela, talvez para alimentar pássaros.

"É difícil ajudar algo que foi previamente cozido, e não à luz do sol", escreveu Adam, em tom de brincadeira.

Internacional