PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
3 meses

Taleban avança no Afeganistão, chega a Cabul e pede 'rendição pacífica'

Imagem da cidade de Jalalabad após entrada do Taleban; não houve resistência na tomada de controle da cidade pelo grupo -  Social media website/via REUTERS
Imagem da cidade de Jalalabad após entrada do Taleban; não houve resistência na tomada de controle da cidade pelo grupo Imagem: Social media website/via REUTERS

Do UOL, em São Paulo*

15/08/2021 07h53Atualizada em 15/08/2021 10h54

Forças do Taleban iniciaram na manhã de hoje a ofensiva contra a capital do Afeganistão, Cabul, horas depois de assumirem o controle de duas cidades importantes do país, Jalalabad e Mazar-i-Sharif, sem encontrar muita resistência. O grupo insurgente diz que buscará uma rendição pacífica do atual governo do país, que sinaliza com a possibilidade.

O registro da entrada das primeiras forças do Taleban na capital foi confirmado por um funcionário do Ministério do Interior à agência Reuters. Ele disse que o Taleban está chegando "de todos os lados", mas não deu mais detalhes.

Um tuíte da conta do palácio presidencial afegão disse que tiros foram ouvidos em vários pontos ao redor de Cabul, mas que as forças de segurança, em coordenação com parceiros internacionais, tinham o controle da cidade.

Em comunicado, o Taleban pediu que os combatentes permaneçam nos pontos de entrada da capital e que a responsabilidade pela segurança da cidade é do governo. Segundo o The o jornal New York Times, o grupo também disse que está em negociações com o governo para uma rendição pacífica.

Já um oficial do Taleban disse à Reuters que o grupo não queria baixas ao tentar assumir o controle da capital, mas não havia declarado um cessar-fogo.

Um porta-voz do grupo reforçou à BBC a intenção de uma transição pacífica e prometeu participação de todos os afegãos no poder. "Queremos um governo islâmico inclusivo, e isso significa que todos os afegãos farão parte desse governo", disse Suhail Shaheen, que está no Catar como parte da equipe de negociação do grupo.

Negociação

Negociadores do Talibã dirigiram-se ao palácio presidencial para conseguir uma transferência pacífica de poder. O ministro interino do Interior afegão, Abdul Sattar Mirzakwal, por sua vez, garantiu que a capital não será atacada e que haverá uma "transferência pacífica de poder".

"Os afegãos não precisam se preocupar, não haverá ataque", disse o ministro em um vídeo. "Haverá uma transferência pacífica de poder para um governo de transição".

De acordo com fontes diplomáticas, citadas pela imprensa internacional, será o ex-ministro do Interior afegão e ex-embaixador na Alemanha, Ali Ahmad Jalali, quem chefiará o governo de transição após uma possível renúncia do presidente Ashraf Ghani.

Diplomatas americanos são evacuados

Autoridades americanas disseram que os diplomatas do país estavam sendo transportados de helicóptero para o aeroporto da embaixada no distrito fortificado de Wazir Akbar Khan.

Na semana passada, uma estimativa da inteligência dos EUA disse que Cabul poderia resistir por pelo menos três meses.

Os membros da equipe "principal" dos EUA estavam trabalhando no aeroporto de Cabul, disse um oficial dos EUA, enquanto um oficial da Otan disse que vários funcionários da União Europeia se deslocaram para um local mais seguro e não revelado na capital.

Ainda não há informações sobre a situação do presidente Ashraf Ghani, que disse no sábado que estava em consultas urgentes com líderes locais e parceiros internacionais sobre a situação.

Tomadas de Jalalabad e Mazar-i-Sharif

Nesta manhã, o Talebã assumiu o controle da cidade oriental de Jalalabad sem lutar, conseguindo acesso a uma das principais rodovias do país. Eles também ocuparam o posto fronteiriço de Torkham com o Paquistão, deixando o aeroporto de Cabul como a única saída do Afeganistão que ainda está nas mãos do governo.

A captura de Jalalabad ocorreu após o Taleban também tomar a cidade de Mazar-i-Sharif, no norte do país, na noite de ontem, também com poucos combates.

"Não há confrontos ocorrendo agora em Jalalabad porque o governador se rendeu ao Taleban", disse uma autoridade afegã baseada em Jalalabad à Reuters. "Permitir a passagem para o Taleban era a única maneira de salvar vidas civis."

Depois que as forças lideradas pelos EUA retiraram a maior parte de suas tropas restantes no mês passado, a campanha do Taleban se acelerou enquanto as defesas militares afegãs pareciam entrar em colapso.

O presidente Joe Biden autorizou no sábado o envio de 5 mil soldados americanos para ajudar a evacuar os cidadãos e garantir uma retirada "ordenada e segura" de militares.

*Com informações das agências ANSA e Reuters.

Internacional