PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Quase 300 aves morrem após colidirem contra o World Trade Center, nos EUA

Voluntária encontrou mais de 200 aves mortas nesta semana - Reprodução/Twitter
Voluntária encontrou mais de 200 aves mortas nesta semana Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

16/09/2021 17h36Atualizada em 17/09/2021 19h17

Centenas de aves migratórias morreram em Nova York, nos Estados Unidos, após colidirem com as torres do World Trade Center no início desta semana, segundo o New York Post. De acordo com a publicação, ao menos 291 pássaros formaram um cemitério de carcaças nas calçadas próximo aos edifícios três, quatro e sete do complexo.

Melissa Breyer, voluntária do grupo de conservação ambiental Audubon, informou à publicação que as aves, que eram de diferentes espécies, provavelmente ficaram desorientadas por conta das luzes dentro dos edifícios e pelos vidros reflexivos. Elas voavam para o sul entre a noite de segunda (13) e a manhã da terça-feira (14). Ainda segundo a voluntária, é comum encontrar cerca de 15 ou 20 aves mortas durante a travessia e que, portanto, o número encontrado ontem é surpreendente.

"Fiquei totalmente chocada. Foi uma coisa avassaladora", disse ela à publicação. "Eu olhei em volta e foi como um pesadelo". As imagens dos animais mortos foram compartilhadas nas redes sociais e, segundo ela, o número pode ser ainda maior já que não foram contabilizados aqueles que foram varridos e esmagados.

"As luzes podem ser apagadas, as janelas podem ser alteradas. Por favor, façam alguma coisa", implorou em publicação.

Ativistas afirmam que o problema pode ser contornado com a redução da iluminação noturna dos edifícios, além de inserção de adesivos no vidro reflexivo para mostrar às aves que se trata de um material sólido. Em junho, uma medida semelhante foi adotada próxima ao Liberty Park, em Manhattan, após dezenas de aves serem encontradas mortas no local por conta de uma barreira de vidro.

Ao New York Post, um representante do World Trade Center informou que os operadores estão tomando medidas diante da situação, especialmente durante a estação migratória. Ainda, segundo a publicação, vidros especiais já foram instalados em outras torres do complexo de edifícios.

Internacional